Minha filha fez sua estreia nos bloquinhos de rua! A felicidade dela está estampada nessa foto de capa.
Fomos no Bloco Gente Miúda, tava cheio pra dedéu, mas nada de perrengue, muita água pra hidratar e nenê hipnotizada pelo trio elétrico que tocava Palavra Cantada e um monte de criança fantasiada.
A mamãe até descolou uma fantasia, mas era TÃO quente, que apenas a peruca foi aproveitada (queria que fosse carnaval o mês inteiro só pra usar mais essa peruca). No carnaval a gente pode tudo! Bem, quase tudo.

Foto: Mãe com Prosa

Mas esse texto não é sobre a experiência da Iara, nem sobre blocos e muito menos perucas que a gente gostaria de usar, e sim sobre a experiência divertida que outras crianças também gostariam de ter.

O carnaval sem dúvida é uma grande paixão nacional, mas também é odiado por muitos, cada um com sua razão. Estamos falando de adultos.
Para as crianças, tudo o que envolve música, confete e fantasia não tem como não ser divertido!

Um dia desses li uma postagem em um grupo de mães que me fez pensar em crenças, gostos e métodos que a gente vive querendo impor aos nossos filhos, mesmo que sutilmente ou sem querer. A gente tenta fazer isso com música, por exemplo. (quem nunca?)

Na postagem, uma mãe evangélica resolveu solicitar o pitaco das outras 10 mil mães pertencentes ao grupo. As filhas dela nunca haviam participado de uma folia de carnaval, mas esse ano queriam de todo jeito participar do baile da escola. A mãe, sincera e coerente, compartilhou sua dúvida porque ela é contra o carnaval, mas não achava justo proibir a diversão inocente das crianças. Nem preciso dizer que foi uma chuva de opiniões de todos os tipos! De proibição radical a acusações de imposição religiosa - o que não condiz com a atitude dessa mãe. Mas pitacos são somente pitacos se não forem pra inspirar algo bom, né gente?
Decidi acompanhar essa conversa e o desfecho veio no dia seguinte, quando a mãe gentilmente agradeceu o apoio e disse que decidiu pela alegria das filhas. Segundo ela, o carnaval é a "festa da carne", mas as crianças não têm a mente poluida dos adultos, portanto, diversão de criança não pode ter relação com pecado. Achei iluminado <3

Religião é um assunto muito particular e deve ser tratado com respeito sempre, mas mãe satisfeita em fazer filho feliz é uma coisa que vai além de qualquer crença.

E TODA CRIANÇA MERECE SE DIVERTIR MUITO!
Mas para isso acontecer, pelo menos até uma boa idade, depende de nós.

Bom resto de diversão pessoal! (com ou sem carnaval)

Mãe com Prosa

Siga-nos

 

Mais Lidos