Sertanejos conversaram com o G1 e falaram sobre a mudança nos mais de 25 anos de carreira. Eles também revelaram ter bastante carinho pelo litoral de SP.

Com mais de 25 anos de carreira, os irmãos Zezé Di Camargo e Luciano se mantém como os maiores nomes da música sertaneja na atualidade. Os goianos conversaram com o G1, em Praia Grande, no litoral de São Paulo, antes de uma apresentação para milhares de pessoas na cidade.

O mais novo projeto da dupla é o CD e DVD ?Dois Tempos ? Parte 2?, que foi feito em estúdio e dá continuidade ao primeiro ?Dois Tempos?. Agora, em 2018, a dupla pretende cair novamente nas estradas dentro e também fora do país.

Neste ano, a dupla voltará a fazer shows internacionais. O Tour ZCL Europa passará por Portugal e Espanha durante o mês de maio. Zezé di Camargo e Luciano estiveram entre os 30 artistas brasileiros mais tocados no streaming de outros países em 2017, segundo pesquisa realizada pela Billboard, americana especializada no ramo musical.

Durante a entrevista, eles reforçaram que muita coisa mudou após o sucesso de 'É o amor', em 1991, e, por isso, foram se reinventando ao longo do tempo. Porém, as músicas românticas são uma marca em toda a carreira da dupla, que acredita nesse potencial para continuar fazendo sucesso. Os irmãos também revelaram que o litoral de São Paulo é especial para eles. Além da energia diferente, Praia Grande recebeu um dos cinco maiores shows da carreira da dupla.

Confira a entrevista completa:

G1 - Vocês estouraram em 1991 com a música ?É o Amor?. Após isso foi um sucesso atrás do outro. O que mudou de lá pra cá para Zezé di Camargo e Luciano?
Luciano: Mudou muita coisa. A mídia, antigamente, você tinha a televisão e o rádio. Lembro que quando surgiu a Globo.com notamos uma mudança enorme na imprensa, mas achamos que pararia por aí. Hoje, porém, as mídias estão muito mais avançadas. Você lança uma música aqui e amanhã ela já pode estar estourada em outros países. Eu acho que a mudança significativa na música, não só na música sertaneja, mas na música em geral foi isso, a maneira de você poder mostrar suas músicas nas mídias.

No sertanejo, a temática continua sendo o romântico. Zezé di Camargo e Luciano é considerada a dupla mais romântica. Eu não abro mão desse título, somos a dupla mais romântica do Brasil. A gente continua falando de amor. O mais recente sucesso nosso foi ?Flores em Vida?, uma música dinâmica, porém romântica. Zezé di Camargo e Luciano continuam com a mesma temática. A turma que tá chegando nova vem com um som diferente, mais violões, mais sanfonas, mas a temática é falar de amor e isso não tem como mudar.

G1 ? Vocês já fretaram navio, já cantaram em estádios lotados. Enfim... ano após ano continuam emplacando sucessos no Top 10. Falta alguma coisa?
Zezé di Camargo: Eu não tenho mais nada para pedir. Eu acho que a carreira de Zezé di Camargo e Luciano, se a gente conseguir manter o que nós conquistamos até hoje, já está de bom tamanho. Eu sempre digo que a nossa estrada está pavimentada, a gente só tem que conservá-la, tentar fazer o bem. Fica aí um exemplo para os prefeitos, para os governantes desse país. A nossa história está construída, é só cuidar bem dela. A criança está adulta já.

G1 - No último show que vocês fizeram na Baixada Santista, vocês falaram que a energia de tocar no litoral é diferente do que o interior. O que vocês querem dizer?
Luciano: É muito bom, é uma festa. Primeiro, quando você vai fazer show assim, como no litoral, você consegue misturar tribos. O cara que vem assistir Zezé di Camargo e Luciano, essa turma que está aqui, eles não estão vindo só para ver Zezé di Camargo e Luciano. Você vai ver aqui o cara que gosta de Legião Urbana, o cara que gosta de RPM, o cara que gosta de Roberto Carlos, que gosta da turma do sertanejo, que gosta do axé. A maioria das pessoas que estão aqui está de férias. Esse período do ano é um período de férias e, ao mesmo tempo, familiar. A maioria das pessoas está com as suas famílias. Então, a energia é essa, estar cantando junto com a sua família para uma multidão, mas para várias tribos.

G1 - Existe alguma dificuldade de fazer um show para um público que está mais acostumado a ouvir e consumir outros ritmos?
Zezé di Camargo: Temos catalogado grande parte dos nossos públicos de shows que fizemos pelo Brasil. Praia Grande está entre os cinco maiores públicos da nossa carreira até hoje. É Manaus, Praia Grande, Salvador, Posadas, na Argentina, e no Ibirapuera, em São Paulo. Todos acima de 200 mil pessoas. No Boqueirão, em Praia Grande, tinha uma multidão. A gente que ia fazer o show, não conseguia chegar. A gente tem essa noção de como as pessoas gostam da gente. Início de ano, férias, vem gente de São Paulo pra cá, do interior para a Baixada toda. A gente sabe que vamos cantar para o povo de Praia Grande, mas também para o Brasil todo que está aqui.


Siga-nos