São 42 propostas que incluem desde inovações tecnológicas, atuação da polícia judiciária e criação de delegacias especializadas nos municípios.

O Conselho Estadual de Segurança Pública do Ceará enviou ao governador do estado, Camilo Santana, um documento com uma série de sugestões para o combate à violência no Ceará. Ao todo são 42 propostas que incluem desde inovações tecnológicas, passando por atuação da polícia judiciária e criação de delegacias especializadas nos municípios.

De acordo com Leandro Vasques, presidente do Conselho de Segurança Pública, o documento foi elaborado com base em audiências públicas com representantes de segmentos e com as propostas de conselheiros do colegiado.

As sugestões foram encaminhadas após dois massacres com 24 mortes em um fim de semana no Ceará, casos que reacenderam o debate sobre a violência no estado. Na maior chacina do estado, homens armados invadiram uma festa e mataram 14 pessoas a tiros. Dois dias depois, um confronto entre presos na cadeia pública de Itapajé resultou na morte de 10 pessoas.

"Espero que o Governo do Estado apresente uma devolutiva, que o governo adote o critério da razoabilidade de implementar algumas dessas medidas. Muitas delas dependem de pesquisas de mercado, avaliar as empresas que apresentem alguma tecnologia e avaliar quais são os projetos mais interessantes mais providenciais no momento", explica.

Algumas propostas

  • Utilização de software para armazenar e tornar acessíveis imagens de vítimas e suspeitos para reconhecimento;
  • Disponibilização para a população de aplicativo que possibilite o registro, em tempo real, de crimes e ocorrências em geral, com a possibilidade de acionamento imediato das autoridades competentes;
  • Instalação de painéis balísticos nas viaturas que proporcionem blindagem no interior dos veículos utilizados em ocorrências policiais;
  • Criação de um canal no YouTube para a veiculação de vídeos com dicas, campanhas, programas e projetos voltados à segurança pública;
  • Instalação de raio-x portátil em viaturas que permitam a fácil visualização de drogas, armas e dinheiro durante as blitze;
  • Aquisição de simulador de tiros nas ruas para treinamento de agentes de segurança pública, com a utilização de imagens reais;
  • Utilização de software que registre as metas de redução de criminalidade e que possibilite o acompanhamento do desempenho das ações policiais;
  • Criação de um software para identificação de solas de calçados registradas em cenas de crimes;
  • Criação de software para a identificação dos diversos tipos de crime, relacionando-os com o local e a hora em que foram praticados. O instrumento possibilitaria o implemento de medidas de prevenção e atuação estratégica das forças de segurança;
  • Criação de software de animação 3D de cena de crime, para que as cenas de crime sejam reconstruídas e possam ser utilizadas sempre que se fizer necessário;
  • Controle digital biométrico de armazenamento de armas de fogo;
  • Implementação de parcerias com condomínios, escolas, shopping centers, transporte coletivo para a instalação de câmeras de monitoramento e radiocomunicadores ligados aos órgãos de segurança pública;
  • Pesquisa em banco de dados nacional dos antecedentes criminais de todos os envolvidos em ocorrências policiais;
  • Criação de delegacias avançadas focadas nos crimes de homicídio na Região Metropolitana de Fortaleza;
  • Incentivo à lei que limite o horário de funcionamento dos bares;
  • Estender a abrangência da Academia Estadual de Segurança Pública do Estado para a formação e a capacitação de agentes penitenciários;
  • Transferir o Presídio Militar para a estrutura organizacional da Secretaria da Justiça e Cidadania;
  • Dotar a Controladoria Geral de Disciplina (CGD) de equipamentos destinados à coleta de depoimentos por sistema audiovisual, com possibilidade de videoconferência;
  • Adquirir porta-giratória de detecção completa para presídios.


Siga-nos

 

Mais Lidos