O presidente francês, Emmanuel Macron, cobrou do presidente da Rússia, Vladimir Putin, durante uma conversa por telefone nesta segunda-feira (19) para esclarecer as circunstâncias que cercam o envenenamento do ex-agente de inteligência russo Sergei Skripal, afirmou em um comunicado o Palácio do Eliseu.

"O presidente da República [francesa] pediu às autoridades russas a esclarecer as circunstâncias do ataque inaceitável em Salisbury e a recuperar o controle sobre os programas que não foram reportados à Organização para a Proibição de Armas Químicas", disse o escritório do presidente francês.

Skripal e sua filha Yulia foram encontrados inconscientes no início de março em um banco de um shopping center na cidade britânica de Salisbury. Desde então as relações entre Rússia e Reino Unido se deterioraram. Países como Suécia, Eslováquia e Polônia também deram declarações negativas sobre o caso.

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, afirmou que é "altamente provável" que a Rússia fosse responsável pelo incidente, uma vez que os dois foram supostamente envenenados com o agente químico A-234, desenvolvido na União Soviética.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia nega todas as alegações e solicitou às Relações Exteriores do Reino Unido que permitissem uma investigação conjunta sobre o caso. 

No domingo (18), Putin disse que a Rússia destruiu todas as suas armas químicas sob a supervisão dos observadores internacionais.


Publicidades