O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, afirma que hoje em dia a principal ameaça que enfrenta seu país é a Rússia.

"Levo muito a sério a ameaça russa. Acho que o que a Rússia faz na Ucrânia é muito perigoso. Discutimos com os nossos parceiros da União Europeia e EUA, inclusive aqui em Davos, sobre como podemos lidar com esta ameaça", disse o premiê polonês ao jornal Politico.

Morawiecki apelou também à preparação para uma "invasão" da Ucrânia pela Rússia.

"O que pode acontecer em caso de guerra em Donbass, quando o exército russo se dirigir ao interior da Ucrânia? Claro que nós não sabemos isso; esperamos, no entanto, que não se dirija, mas é melhor ter uma segunda e uma terceira linha de defesa do que ficar sem esta arma", acrescentou Morawiecki.

Frants Klintsevich, senador russo, comentou por sua vez as declarações do premiê polonês.

O político russo sublinhou que a Polônia, em primeiro lugar, tem que se preocupar com os ânimos nacionalistas "exagerados" dentro do país. Segundo o senador, tal situação é "bem estranha" para um país que sofreu com o nazismo.

"A principal ameaça para a Polônia está escondida nos processos que ocorrem dentro do próprio país, no seu estado interior", destacou Klintsevich na sua página do Facebook.

Segundo ele, Moscou nunca deu motivos para tais declarações por parte das autoridades polonesas. Klintsevich acrescentou que essas declarações "não melhoram as relações russo-polonesas".


Publicidades