Na terça-feira (30), o porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, disse aos repórteres que as alegações de Rodchenkov são "calúnias" infundadas, adicionando que prova alguma foi apresentada para confirmação das calúnias.

"É mais uma calúnia, que não conta com prova alguma, nem mesmo com uma indicação, que poderia ser recebida como prova ou como sugestão que se trata da verdade", disse Peskov a jornalistas.

Segundo Dmitry Peskov, o compromisso maníaco ao fato de usar Rodchenkov como infamador encomendado causa perplexidade, levando em conta que os jornalistas não verificaram as palavras de Rodchenkov em outras fontes. "Trata-se de uma forma de apresentar matérias, estragando imagem e reputação da mídia", sublinhou o porta-voz.

Grigory Rodchenkov, informador da Agência Mundial Antidoping (WADA em inglês) e ex-chefe do Laboratório Antidoping de Moscou, declarou anteriormente que o presidente russo Vladimir Putin estava ciente sobre o sistema de doping governamental, que alegadamente teria sido posto em prática antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014.

Peskov concluiu que Rodchenkov, que está sendo investigado, é uma pessoa odiosa que não se dá bem com a lei e, obviamente, não pode ser considerada como fonte segura.


Publicidades