O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta segunda-feira que é necessário parar as tentativas de negar o Holocausto e menosprezar a contribuição decisiva da União Soviética para a vitória sobre o fascismo na Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

"Hoje, o consentimento inter-religioso e inter-étnico é a base do nosso Estado. A rejeição do antissemitismo, quaisquer manifestações de xenofobia e discórdia étnica aproximam a Rússia e Israel", disse Putin.

A fala do líder russo foi proferida em um evento dedicado ao Dia da Memória Internacional do Holocausto, que coincide com o aniversário da libertação completa da cidade de Leningrado (agora São Petersburgo) do bloqueio da Alemanha nazista.

"Nós cooperamos de perto, inclusive em contrariar as tentativas de falsificar a história e rever o resultado da Segunda Guerra Mundial, negar o Holocausto e menosprezar a contribuição decisiva da União Soviética para a vitória sobre a Alemanha nazista. Essas tentativas devem ser decididamente interrompidas", ponderou.

A declaração acontece às vésperas do encontro entre Putin e o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na qual os dois líderes discutirão as relações bilatérias e a situação na Síria.


Publicidades