Juiz federal definiu que fusão entre as duas gigantes não configura truste.

A AT&T, segunda maior companhia de telecomunicações dos Estados Unidos, está apta a comprar a Time Warner, conglomerado multinacional de mídia e entretenimento, por US$ 85,4 bilhões. Quem bateu o martelo nesta terça-feira (12) foi juiz distrital Richard Leon após seis semanas de julgamento. O juiz contrariou o entendimento da Divisão Antitruste do Departamento de Justiça dos Estados Unidos que considerava que a incorporação ajudaria a formar um oligopólio e prejudicaria o consumidor americano.

Foto: AdoroCinema / AdoroCinema

A decisão de Leon é definitiva. Para o magistrado, a corte concluiu que o governo não foi capaz de provar que a fusão das duas empresas iria prejudicar a competição no mercado de mídia. "Estamos satisfeitos por, após conduzir um julgamento completo e justo dos méritos, a corte ter categoricamente rejeitado o processo do governo para bloquear nossa fusão com a Time Warner", afirmou o conselheiro geral da AT&T David McAtee em comunicado à imprensa. "Nós agradecemos à corte pelo exame oportuno e minucioso das provas e agradecemos aos nossos colegas no Departamento de Justiça por terem representado o governo de forma dedicada. Nós estamos ansiosos para fechar a fusão até o dia 20 de junho ou antes para que possamos começar a dar aos consumidores um entretenimento em vídeo mais acessível, móvel e inovador."

Ainda não se sabe se o Departamento de Justiça irá apelar da decisão. Makan Delrahim, chefe da Divisão Antitruste do Departamento de Justiça, se disse "desapontado" com o resultado e que o órgão que representa "obviamente não concorda" com o parecer do juiz distrital. "Nós estamos desapontados com a decisão da corte hoje. Continuamos acreditanto que o mercado de TV pago será menos competitivo e menos inovador como resultado dessa proposta fusão entre a AT&T e a Time Warner."

Com a fusão, caberá à AT&T, dona da provedora de TV por assinatura DirecTV, administrar as propriedades da Time Warner (e sua subsidiária Turner Broadcasting System), que incluem os canais de TV HBO, CNN, The CW, TNT, TCM, TBS, Cartoon Network, e companhias como Warner Bros. Pictures e DC Entertainment.

O principal impacto da decisão que permitiu a fusão de AT&T e Time Warner é o reflexo que isso pode causar na negociação entre Disney e a Fox. O estúdio do Mickey ainda não finalizou o negócio envolvendo a absorção da maior parte das empresas da 21st Century Fox (incluindo os estúdios da 20th Century Fox). Com isso, o mercado está aberto para que a Comcast faça uma oferta pelas mesmas propriedades da Fox que a Disney intenciona comprar. A Comcast, que planeja ter a Fox em sua manopla, comprou a NBCUniversal, dona da Universal Pictures, em 2011.

AdoroCinema

Publicidades