O 13° álbum da banda paulista Rosa de Saron, Gran Paradiso, chega ao mercado fonográfico pela gravadora Som Livre a partir de hoje, 16 de fevereiro, com 12 músicas no repertório autoral e com a missão de celebrar os 30 anos de vida do grupo. Contudo, somente um terço dessas 12 músicas é novidade para os fiéis admiradores dessa banda de rock originalmente cristão formada em 1988 na cidade de Campinas (SP) dentro do movimento intitulado Renovação Carismática Católica.

As músicas tecnicamente inéditas são Ambivertido (Guilherme de Sá), Ei! (Guilherme de Sá), Quando perder (Eduardo Faro e Rogério Feltrin) e Densas nuvens, tempestades (Guilherme de Sá). A faixa Ambivertido, aliás, entra em rotação com clipe dirigido por Marcus Paulo.

O baixo teor de novidade do repertório do álbum Gran Paradiso tem explicação. É que Guilherme de Sá (voz), Eduardo Faro (guitarra), Rogério Feltrin (baixo) e Wellington Greve (bateria) já adiantaram oito das 12 músicas do nono álbum de estúdio do quarteto em dois EPs lançados nas plataformas digitais em janeiro deste ano de 2018.

Em 5 de janeiro, o primeiro EP apresentou as músicas Dossel (Guilherme de Sá), Ébrio hábito (Guilherme de Sá), Gran Paradiso (Guilherme de Sá) e Gratidão (Ricado Domingues, Eduardo Faro e Rogério Feltrin). Em 21 de janeiro, foi a vez de um segundo EP dar outra prévia do álbum com as gravações das composições Abba (Guilherme de Sá), Eu quero voltar (Guilherme de Sá), E sempre (Guilherme de Sá) e Royaanisqatsi (Guilherme de Sá).

No todo, entre músicas novas e faixas já conhecidas, o álbum Gran Paradiso adiciona alguma dose de eletrônica ao já pop e diluído som do Rosa de Saron, sobretudo nos rocks do disco, como Ei!, mas há grande número de baladas, ritmo mais fácil para a pregação ? sem discurso religioso, diga-se ? embutida nas letras em nada muito distantes da trivialidade poética do universo pop.


Mais Lidos

Publicidades