O presente repete o passado através da regravação da música O tempo não para, feita por Elza Soares para a trilha sonora da novela também intitulada O tempo não para e exibida pela TV Globo desde ontem, 31 de julho, data em que o single da cantora foi estrategicamente lançado pela gravadora Deck nas plataformas digitais.

O passado se repete porque o atual registro de O tempo não para ? gravado por Elza no estúdio Tambor, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), com produção de Rafael Ramos ? reconecta a cantora carioca com o conterrâneo Cazuza (1958 ? 1990), parceiro de Arnaldo Brandão na música composta em 1988 com letra que, ouvida 30 anos depois, se revela antenada, e até mesmo visionária, por conta de versos como "Eu vejo o futuro repetir o passado / Eu vejo um museu de grandes novidades".

Em 1985, quando gravou o álbum Somos todos iguais no embalo da projeção que ganhara no ano anterior ao ser convidada por Caetano Veloso para dar voz ao samba-rap Língua (Caetano Veloso, 1984) com o cantor no álbum Velô (1984), Elza registrou Milagres, parceria de Cazuza com Roberto Frejat e Denise Barroso lançada pelo grupo Barão Vermelho no então recente álbum Maior abandonado (1984).

Elza, que vive desde 2015 outra fase vigorosa na carreira, atualiza O tempo não para com toques eletrônicos e uma vibe contemporânea que se alinha com o modernismo dos dois emblemáticos álbuns lançados pela cantora nos últimos anos, A mulher do fim do mundo (2015) e Deus é mulher (2018).


Mais Lidos