João Pedro Correia de Carvalho, de 18 anos, fez filme com Daniel e 'Acquária' (2003), com Sandy & Junior. Ao G1, ele fala sobre funk com letras sem palavrão para 'público teen'.

João Pedro Correia de Carvalho tem 18 anos. Mas que currículo, veja você:

  • aos 3 meses, começou a fazer comerciais de TV;
  • aos 3 anos, apareceu no filme "Acquária" (2003), de Sandy & Junior;
  • aos 9 anos, estrelou o filme "Menino da porteira" (2009), com Daniel;
  • aos 12 anos, na novela "Avenida Brasil" (2012), viveu Jerônimo, o capanguinha do vilão Nilo (José de Abreu);
  • aos 18 anos, ele toca carreira de funkeiro (assina como MC JottaPê) e tem contrato com a KondZilla, uma das principais produtoras do estilo em atividade no país.

Filho de um corretor de imóveis e de uma dona de casa, MC JottaPê mora com os pais, na Freguesia do Ó, Zona Norte de São Paulo, bairro onde foi criado.

A rotina hoje é puxada, conta: shows de quarta ou quinta-feira até domingo, sempre dois ou três por dia. "O recorde foram cinco", diz em entrevista ao G1, por telefone.

Fã de sertanejo (ele já pegou dicas de violão com o cantor Daniel, que inclusive lhe ensinou a nadar), Jottapê acredita que seu som "é puxado para funk, com pop e com rap".

"Mas não canto apologia, não falo palavrão, não canto besteira. Antigamente, tinha uns funk que falavam mal de polícia, e como eu posso dizer? Ou funk que influencia a usar droga... A maioria do meu público é teen, adolescente, tem crianças, adultos."

Com KondZilla, JottaPê já lançou as faixas como "Chamando no grau", "Ladrão da noite", "Ela é maravilhosa", "Elas já estão prontas", "Rebola e joga", "Perfeitamente", "Moletom" e, mais recentemente, "Modo avião", feita em parceria com uma marca de balas.

O MC parece querer mesmo falar aos jovens de sua geração. Neste última, reclama da parceira que chega na balada mas não lhe dá muita atenção.

Diz a letra: "Ela é linda, ela é top, mas desse jeito não vai rolar / Eu quero curtir, mas você não sai desse celular / É o dia inteiro só mensagem e publicação / Vou ter que por meu coração no modo avião".

Leia, a seguir, a entrevista com MC JottaPê:

G1 ? Você se define como ator ou como cantor?

MC JottaPê ? Na verdade, no momento mais como cantor, porque estou focando na música. Meu último trabalho de ator foi na novela "Chiquititas" [exibida pelo SBT], com 15 ou 16 anos.

G1 ? Você começou a carreira ainda bebê, fazendo comerciais. Como foi isso?

MC JottaPê ?

"Comecei a trabalhar com três meses, fazendo comerciais de bebê. Meus pais me colocaram numa agência e me levavam nos testes. Mas a maioria era comercial de fralda. Ou eu interpretava o filho de alguém. Fiz mais de Mais de 50 comerciais."

Isso começou, na verdade, com a minha irmã mais velha, Karine, que está com 30 anos hoje. Só que ela não quis seguir carreira.

Depois foi minha irmã do meio, a Karol, que está com 24 anos, mas ela nunca gostou. Ela também canta e toca violão muito muito bem, só que não quis. Depois veio eu. Fui gostando e quis continuar.

G1 ? Você se lembra de algo das gravações do filme 'Acquária' (2003), com Sandy & Junior?

MC JottaPê ? No longa, eu interpretei a versão do Junior pequeno. A gente encontrou com eles, não tanto, mas algumas vezes. Foi meu primeiro longa. Eu já escutava as músicas deles, gostava.

Sempre gostei de música, cheguei a trocar ideia com eles, curtia o som, só que naquele tempo meu foco ainda não era ser cantor.

Tenho o álbum de figurinha do filme até hoje, completo!

G1 ? Você também atuou na releitura de ?Menino da porteira?, com o Daniel. Como foi aquilo, em 2009?

MC JottaPê ? Foi muito legal, conheci o Daniel, aprendi muito de música com ele, como notas de violão, dentre outras coisas, como andar a cavalo. Ele que me ensinou a nadar, inclusive. As filmagens foram Brotas, Paulínia e Corumbataí.

Eu fiquei em Brotas por três meses, meu pai foi comigo, e minha mãe ia às vezes visitar. Eu tinha uma professora particular e voltava para São Paulo só para fazer as provas.

"Eu já tinha uma noção de violão, e o Daniel ensinou outras coisas, uma pegada mais sertaneja, só aprimorou."

G1 ? Que músicas você escutava na época?

MC JottaPê ? Escutava bastante sertanejo, ainda gosto. E desde pequeno sempre escutei funk.

De funk, escutava os das antigas, Claudinho & Buchecha, Bonde do Tigrão, toda essa turma.

De sertanejo, de todos: Victor e Leo, Bruno e Marrone, Jorge e Mateus, tudo.

E escutava muito Tim Maia também, gosto ainda hoje.

G1 ? Já pensava em ser cantor na época em que fez 'Menino da porteira'?

MC JottaPê ? Sempre tocava, sei tocar diversos instrumentos: violão, sei um pouco de baixo, cajón, ukelele, bateria, teclado. Mas o foco era a carreira de ator naquela época.

G1 ? Depois vocês fez a 'Avenida Brasil' (2012), uma das novelas mais marcantes dos últimos anos. Como foi aquela experiência?

MC JottaPê ? Cheguei para fazer o teste para interpretar o Batata, que era o Cauã Reymond pequeno, e aí de última hora resolveram mudar e me colocaram para fazer o Jerônimo, que era o parceiro do Nilo do lixão.

Eu era bem reconhecido na rua, foi uma novela de muita audência, o Brasil parou para assistir.

"O pessoal tinha bastante raiva de mim [na verdade, do personagem], era sempre o que contava as coisas pro Nilo. Foi um personagem bem marcante. O pessoal reconhecia na rua e falava: 'Você que é aquele menino chato que fica contando tudo!'."

G1 ? Quando começou a pensar em ser músico? Você já começou no funk?

MC JottaPê ? Após o término de "Chiquititas" [2013-2015], ganhei muitos fãs, comecei a fazer procket shows por volta de 2016, e cantava algumas músicas nesses encontros de fãs. E eles começaram a gostar.

Eu tinha umas músicas, sempre escrevi em casa, desde pequeno. Nesses encontros, eu mostrava. Vi que tinha esse fcaminho da música que poderia dar certo, comecei a investir um pouco mais.

G1 ? Que músicas você cantava nesses eventos?

MC JottaPê ? Eram umas músicas que fiz quando era pequeno. A gente até lançou alguns clipes: "Fiquei sabendo", "Essa novinha", tinha música que cheguei só a tocar no violão: "Por do sol", "Na brisa do mar".

G1 ? Tudo funk?

MC JottaPê ? Não, era só música, como posso dizer? Era música popular brasileira. E aí comecei a lançar os próprios funks, que são essa "Fiquei sabendo" e "Essa novinha", que saíram em 2016.

E aí passou um tempo, fui pra KondZilla, no final de 2017. O primeiro clipe que lançou lá foi "Elas já estão prontas", em setembro.

G1 ? Aliás, você se define como músico ou é funkeiro? Tem diferença nisso?

MC JottaPê ? Para mim, não vejo diferença, porque acho o funk também um estilo de música, e canto de tudo. Sou MC, mas eu canto trap, funk, pop, de tudo. Não tem esse preconceito. Canto sertanejo, canto hip hop, de tudo."

G1 ? Mas não rola preocupação de acharem que falta uma identidade?

MC JottaPê ? Nos shows, a maioria dos MCs costuma cantar de tudo. Mas não canto apologia, não falo palavrão, não canto besteira. É mais puxado para funk, com pop e com trap. São os caminhos que ando na música.

G1 ? Apologia do quê?

MC JottaPê ?

"Antigamente, tinha uns funk que falavam mal de polícia, e como eu posso dizer? Ou funk que influencia a usar droga... E minha música todo público pode ouvir, tanto criança quanto qualquer um."

G1 ? A resposta dos pais é positiva?

MC JottaPê ? A maioria do meu público é teen, adolescente, tem crianças, adultos.

Eu tive um show esses dias. O filho da contratante, o moleque tinha uns oito anos, e foi ele que pediu pra mãe me contratar. Com esse tipo de música que canto, consigo agradar todo mundo.

G1 ? Você pensa em convidar o Daniel pra participar de algum som seu?

MC JottaPê ? Penso bastante de fazer parceria tanto com sertanejo quanto com outros do artistas funk.

G1 ? Qual seria sua parceria dos sonhos?

MC JottaPê ? Gravar um feat com o Drake. E com o Justin Bieber. Gosto bastante da batida e das letras. O Gosto muito das pessoas que eles são.

G1 ? Você que escolheu o tema desta nova música, 'Modo avião'?

MC JottaPê ? O nome e a letra fui eu. O slogan era faz "barulho aí". Para mandar tipo um recado para quem está trocando a curtição pela tecnologia.

Então, fiz essa letra para colocar o celular no modo avião para poder curtir a festa.

G1 ? Você faz isso?

MC JottaPê ? Eu costumo não ficar no celular quando estou na festa. Tem amigos meus que se preocupam mais em mostrar e postar nas redes sociais onde eles estão e com quem esles estão do que em curtir as festas.

G1 ? Mas você tem mais de 1 milhhão de seguidores no Instagram...

MC JottaPê ? Mas eu sempre posto vídeos depois das festas. Ou na hora, mas nunca exagero.

G1 ? Você usa muito as redes sociais?

MC JottaPê ? Sempre fui bem controlado nessa parte. Sempre preferi jogar futebol a ficar só no celular ou no videogame. Ando de skate, jogo basquete.

G1 ? Como está sua rotina agora?

MC Jottapê ? Minha agenda é bem corrida. Faço shows de quarta ou quinta até domingo, sempre dois, três por dia. No Brasil inteiro.

G1 ? Qual o seu recorde de shows num mesmo dia?

MC JottaPê ? Cinco shows num dia. Foi no mês passado. Não vou lembrar a cidade, mas foi interior de São Paulo e também na capital.

Foi bem corrido, mas bem cansativo. Todos os shows estavam com a casa cheia, mas foi muito bom. Teve que fazer a logística.

G1 ? Como você estava no fim da maratona?

MC JottaPê ? Sou um pouco hiperativo. Fico um pouco difícil de dormir quando chego em casa. Fico ligadão. Mas vou acalmando. E fico um pouco mais cansado no outro dia.

G1 ? Já terminou o ensino médio? Pensa em fazer faculdade?

MC JottaPê ? Já terminei a estudos. Faculdade, por enquanto, não. Senão teria que trancar a minha agenda. Por enquanto é foco na música, nos clipes.


Mais Lidos