Marketing Digital

Mentalidade de produto e projeto: entenda suas vantagens e diferenças

Separar a mentalidade de um produto e projeto podem ser tarefas que na prática acabam sendo mais complexas do que se espera, especialmente, quando um projeto precisa passar para ser um produto. 

Também podendo ser muitas vezes vista como algo similar, tanto uma gestão de projeto como uma gestão de produto, são diferentes em vários aspectos que ainda sim, podem contribuir para o crescimento da empresa se forem aplicadas com sucesso. 

Por isso, é importante que haja uma compreensão dos dois lados para que se entenda melhor as vantagens e as diferenças, bem como a aplicação de cada uma dentro do cotidiano de uma empresa de impermeabilização de piscina elevada

O que é mentalidade de projeto?

Também podendo ser denominado como project thinking, o principal foco desta mentalidade é a entrega daquilo que é visto como o objetivo principal, utilizando os prazos como uma forma de incentivo para que as metas sejam atingidas. 

Devido a esse princípio e foco, a importância do cronograma feito com antecedência pode contribuir para uma melhor entrega de resultado com qualidade ainda dentro do prazo, por isso, quanto mais informações forem coletadas, melhor será o cronograma. 

Por exemplo, a mentalidade de projeto de uma instalação elétrica ar condicionado pode estar ligado ao fato de ser feito em menos tempo com peças de fácil manuseio, para que o cliente fique satisfeito com o equipamento com uma maior antecedência. 

Quanto mais forem as especificações que aquele projeto tiver, e mais coletadas forem as informações que podem complementar, melhor será o resultado final que uma empresa pode apresentar.

O que é mentalidade de produto?

A mentalidade do produto, não possui um foco no resultado como no caso dos projetos, mas sim, pensar no produto como um objetivo. 

Não tendo tanto foco em cronogramas ou entregar de acordo com o prazo, o objetivo é fazer com que o produto possa alcançar o objetivo pelo qual foi construído, de modo que exerça o seu trabalho positivamente. 

Por isso, essa mentalidade acaba não sendo apegada a prazos ou o tempo do qual terá um foco em alguma tarefa, o que pode causar um receio inicial por não ter um cronograma que deve ser seguido. 

Por exemplo, com a mentalidade de produto, o desenvolvimento de uma capa para TV 32 polegadas pode levar algum tempo para ser feito, mas ainda sim, o objetivo principal será com que o equipamento realize o que ele foi projetado para realizar. 

Por meio de uma boa mentalidade de produto, a empresa pode satisfazer os desejos do consumidor assim como, entregar exatamente o que ele está buscando.

Os benefícios

Se uma empresa de limpeza de colchão a seco busca compreender os benefícios de ambas as mentalidades, é importante saber qual é a intenção principal para que seja definido o que se enquadra na estratégia.  

Para as empresas que buscam sair de cronogramas e ter o objetivo final dos produtos como mentalidade principal para os seus negócios, é importante que o primeiro passo seja que o produto chegue ao final com a garantia de eficiência. 

Ou seja, mesmo que ele tenha um tempo para ficar pronto da maneira correta, durante o seu uso nas mãos do consumidor, ele deve funcionar exatamente como foi assegurado e de modo que possa atender aos desejos do consumidor. 

Contudo, se as empresas de remédio manipulado para espinhas buscam meios para fortalecer a mentalidade de projeto, é essencial que logo no início do processo já deve haver alguma eficiência para que o resultado final se mantenha deste modo.  

Os benefícios para ambas as mentalidades podem proporcionar bons resultados para as empresas, sejam elas no formato de produto ou de projeto, bastando apenas ter um ideal principal e meios para que ele seja alcançado.  

As divergências entre as mentalidades

Dentre os pontos que acabam afastando a mentalidade do produto e a mentalidade de projeto, podem ser incluídos observações como:

  • Ciclo de vida;
  • Propósito principal;
  • Possibilidades de flexibilização;
  • Momento certo de interrupção.

O ciclo de vida de empresas que trabalham com projetos e empresas que trabalham com mentalidade de produtos é diferente, ao ponto de que com projetos há uma definição maior e um fechamento mais estreito, com início, meio e fim.

Ao contrário do produto em que, em algumas etapas, pode haver mudanças e uma definição diferente de como serão executadas as ações.  

Para o formato de projetos, no início é onde as definições do que será feito e a definição do prazo de entrega é feito, para que posteriormente, possa haver o desenvolvimento onde tudo é feito com base no tempo e no objetivo de concluir o cronograma.

A última etapa do ciclo é o final com a entrega, que está de acordo com o planejamento das primeiras fases. 

Nesta etapa, é importante que tudo tenha sido concluído e que não falte nada, podendo ter prazos que vão de dias ou até mesmo, meses.

Com produtos, o ciclo de vida é mais flexível de modo que embora possa ser quase similar ao do projeto, com definições iniciais e andamentos no meio do processo, o que os distinguem são os finais, já que com um produto, não termina com o lançamento. 

Isso porque ao invés de haver uma conclusão, há etapas de percepção do que o público irá achar após usar o produto para realizar a pintura de fachadas comerciais, por exemplo, e com isso, está ligada às experiências de pós-vendas e feedbacks

A mentalidade de produtos também acabam se distinguindo devido às modificações que eles podem surgir após serem lançados, com novas edições ou então lotes com pontos mais aprimorados devido ao feedbacks dos consumidores. 

Essas possibilidades de flexibilização podem mostrar também os momentos de pausas e reforma do produto, ao contrário do modelo de projeto que deve seguir para entregar um bom resultado no fim.    

Os princípios para cada mentalidade

Embora possam haver divergências em alguns aspectos, há princípios básicos que acabam se enquadrando em ambas as mentalidades que podem contribuir para que elas sejam ainda mais assertivas, independentemente do modelo escolhido.

Para uma empresa, quanto melhor conhecimento houver de seu público-alvo, melhor será para as suas estratégias. 

Como uma oficina mecânica especializada em suspensão, por exemplo, ao saber quais são os horários e dias que os clientes costumam frequentar para emergências, melhor será para estratégias que possam oferecer bons serviços para aquele momento.  

Mesmo através de dados, que não se pode ter um total baseamento neles se não acompanhar o processo, a mentalidade para ambos os modos requer uma boa observação de como está o andamento do mercado. 

Sendo um dos pontos que podem impactar as mentalidades de forma negativa ou positiva, o mundo real e como os consumidores estão reagindo a determinadas ações do mercado, seja o de atuação da empresa ou outros, podem contribuir com os planejamentos. 

Portanto, quanto maior for o conhecimento e o acompanhamento do mercado, até mesmo de outras empresas concorrentes ou parceiras, melhor será para que as mentalidades possam atingir o objetivo principal. 

Apresentar produtos ou estratégias que podem ser a solução em tempos de crise contribui com um destaque da empresa que, por sua vez, pode acabar ganhando a credibilidade necessária dentro do mercado para que possa atrair novos leads. 

Usar a tecnologia como um princípio para colaborar com o andamento de um projeto ou uma melhor configuração de um produto, oferece ao negócio maiores chances de acertos dentro do segmento mercadológico que atua.  

Considerações finais 

Portanto, uma empresa com mentalidade de produto ou de projeto acaba tendo diferentes modos de operação, ao ponto de que ao compreendê-los.

Assim, podem ser melhor aplicados de acordo com os objetivos que tem com consumidores e a imagem que deseja passar ao mercado. 

Tendo um cronograma que deve ser seguido do início ao fim, o formato do projeto visa entregar o resultado final e passar por todas as etapas que foram estipuladas, assim como é feita com a aplicação de bona preço ao consumidor.

Já o produto, acaba sendo uma mentalidade com uma maior flexibilidade e que possibilita alterações ao longo do trajeto porque o resultado final é a qualidade do produto, mesmo que ele leve um tempo para ficar pronto. 

E também possuindo um ciclo de vida mais longo, porque as experiências de compras dos consumidores e os feedbacks que são coletados, contribuem para uma melhora em pontos que não foram notados anteriormente. 

Devendo ser implantado de acordo com os objetivos que a empresa deseja conquistar, as mentalidades de produto e de projeto possuem seus prós e contras, que ao serem bem executados, trazem visibilidade para o empreendimento e boas conversões de leads. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo