Conflito sírio entrou, em 15 de março, no sétimo ano.

Os presidentes turco, russo e iraniano se comprometeram nesta quarta-feira (4) em uma cúpula em Ancara em trabalhar em prol de um cessar-fogo duradouro na Síria, segundo comunicado divulgado ao término da reunião. O conflito entrou, em 15 de março, no sétimo ano.

Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin e Hassan Rohani "reafirmaram sua determinação em cooperar ativamente na Síria visando a oter um cessar-fogo duradouro entre os beligerantes", indica o comunicado.

Turquia, Rússia e Irã tornaram-se os donos do tabuleiro que é a Síria, um país devastado pela guerra, diante da irrelevância de Washington e de seus aliados.

Em janeiro de 2017, esses três países lançaram o processo de Astana, sem os Estados Unidos, competindo, assim, com outras negociações patrocinadas pela ONU.

Esse processo permitiu chegar a um acordo sobre a criação na Síria de quatro "zonas de distensão" que reduziu a violência em alguns setores. Porém, apesar de um cessar-fogo, os confrontos continuaram e dificultaram a saída de feridos.

A busca de uma solução para o conflito sírio se encontra paralisada, porém, devido aos interesses contraditórios de Moscou, Ancara e Teerã.

Depois de ficarem ao lado de grupos da chamada oposição "moderada" contra o governo sírio, os Estados Unidos agora concentram seus esforços na Síria para lutar contra o grupo extremista Estado Islâmico (EI), com o apoio das milícias curdas. Washington já abriu mão, contudo, de influenciar o conflito até ver seu fim.

Mais Lidos