Mais alta distinção francesa foi concedida ao presidente sírio por Jacques Chirac em 2001 e será retirada por Emmanuel Macron. Medida semelhante já foi adotada contra Harvey Weinstein, Lance Armstrong e John Galliano.

A França iniciou o processo para retirar a Legião de Honra concedida ao presidente sírio, Bashar al-Assad, informou nesta segunda-feira (16) à AFP o entorno do presidente francês, Emmanuel Macron.

"O Palácio do Eliseu confirma que um procedimento disciplinar de retirada da Legião de Honra", a mais alta distinção francesa, "a Bashar al-Assad foi empreendido", informou a Presidência da República.

Em 2011, o então presidente francês Jacques Chirac concedeu ao presidente sírio a Grã-cruz (a mais alta distinção) da Legião de Honra, pouco depois de ter sucedido o pai, Hafez al-Assad.

O procedimento para retirar a Legião de Honra está nas mãos do Grã-mestre desta ordem, ou seja, o presidente da República em exercício. Emmanuel Macron já tinha tomado no ano passado as mesmas medidas contra o ex-todo poderoso produtor de Hollywood Harvey Weinstein, acusado de agressão sexual e estupro.

Desde 2010, um decreto permite retirar mais facilmente esta distinção a um estrangeiro que tenha "cometido atos contrários à honra".

Por estes motivos, a Legião de Honra foi retirada do ciclista americano Lance Armstrong ou do estilista britânico John Galliano.

Mais Lidos

Publicidades