Adrien Guihal fez reivindicação do ataque em que atropelamento em massa deixou mais de 80 mortos no sul da França. Ele também foi condenado por orquestrar plano de atentado.

As Forças Democráticas Sírias (FDS), uma coalizão curdo-árabe apoiada pelos Estados Unidos e França, anunciaram nesta quinta-feira (24) a captura de um extremista francês, Adrien Guihal, em Raqa, no norte da Síria.

Em gravações do grupo EI, Adrien Guihal fez a reivindicação do ataque realizado em Nice, no sul da França, em julho de 2016. O ataque foi feito por um motorista que avançou com um caminhão entre as pessoas que estavam à beira-mar, festejando a queda da Bastilha no dia 14 de julho, deixando 84 mortos e 200 feridos. Na reivindicação, o EI disse que o motorista era um "soldado" do grupo.

"Os serviços de inteligência das FDS realizaram uma operação no sábado, 19 de maio, que levou à prisão de um grupo de jihadistas do Estado Islâmico (EI) liderado por Adrien Guihal, conhecido como Abu Osama al-Faransi", de acordo com um comunicado publicado no site das FDS.

O extremista foi condenado em 2012 na França a quatro anos de prisão por orquestrar um projeto de atentado, antes de fugir para a Síria e Iraque, onde o EI chegou a controlar vastas regiões em 2014.

Guihal foi preso na companhia de sua esposa, cuja identidade não foi revelada, acrescentou o comunicado.

As FDS conseguiram deter vários jihadistas franceses membros do EI que estavam escondidos nos últimos meses.

Publicidades