Locais explicam o conceito grego de ?filoxenia?, que pode ser traduzido literalmente por ?amor pelo estranho?, uma cordialidade que faz os estrangeiros se sentirem imediatamente bem-vindos.

Poucas cidades no mundo podem rivalizar com a antiguidade de Atenas, onde pessoas viveram em comunidades por milhares de anos. Os atenienses criaram as primeiras formas de democracia, as obras e a filosofia que moldaram a civilização ocidental, além dos prédios clássicos que ainda se destacam na Acrópole.

Entre as ruínas antigas, outro sobrevivente dos séculos é o conceito grego de "filoxenia" - um termo que pode ser literalmente traduzido por "amor por estranhos", mas que os locais definem mais como um calor que faz os estrangeiros se sentirem imediatamente bem-vindos quando chegam à capital.

"As pessoas costumam ser muito hospitaleiras e amigáveis", concorda Julian Williams, que se mudou de Londres para Atenas em 2009.

Embora receba mais de 4,5 milhões de visitantes anualmente para explorar o seu passado, Atenas oferece muito mais para fazer valer a pena ficar ali a longo prazo.

Por que as pessoas a amam?

Atenas passa uma ideia de estar sempre acordada, algo que atrai gregos e expatriados.

"É uma cidade movimentada", diz Chrissy Manika, ateniense e blogueira de viagens do site Travel Passionate. "Não importa que horas você saia, sempre verá cafés e bares cheios de pessoas se divertindo".

Ela gosta de passear especialmente pelo bairro de Plaka, a nordeste da Acrópole. "Com todos esses turistas por perto, parece que você está de férias em uma ilha, principalmente no verão".

Com mais de 250 dias de sol anualmente, esse verão pode parecer infinito. "Pelos meus padrões americanos, o 'verão' em Atenas vai do fim de abril até o fim de outubro", diz Mina Agnos, que abriu uma empresa de turismo de luxo em Atenas em 2008.

O bom tempo facilita visitas a ilhas próximas, mesmo que para breves passeios de fim de semana. Williams recomenda Hydra (64 km ao sul), onde os carros são proibidos e o transporte é por meio de burros, mulas ou por caminhadas pelas idílicas ruas da cidade, a maioria delas sem placas.

Apesar de ser muito popular entre celebridades e artistas, a ilha tem um estilo relaxado, com muitos cafés e um número limitado de pessoas, graças à baixa quantidade de hotéis por ali.

As florestas e montanhas também estão a fácil alcance. "Se você quiser sair da cidade, você pode fazê-lo facilmente e terá a sensação de que está a milhares de quilômetros (de distância da cidade grande)", diz Williams. "Sempre vou ao Monte Hymettys (6 km do centro da cidade), ótimo para passear com o cachorro ou andar de bicicleta".

Como é viver lá?

Apesar de morarem em uma cidade antiga, os moradores dizem nunca se cansar das vistas. "Dirigir até a cidade e ver a Acrópole ou o Templo de Zeus tiram meu fôlego", diz Agnos. "A cada curva, há uma linda recordação do passado antigo da cidade. É um lembrete adorável de que nosso tempo é limitado e que devemos tirar o melhor proveito dele".

Entre as antiguidades, os bairros próximos dão um vislumbre da cultura contemporânea da cidade. A alguns passos da Acrópole, Koukaki foi recentemente classificado como o mais novo bairro descolado da cidade graças ao Museu Nacional de Arte Contemporânea, aos restaurantes da moda e seus cafés confortáveis.

Para um ambiente mais avant-garde, Williams recomenda o bairro de Exarcheia, a 1 km do centro da cidade, sentido nordeste. "(O bairro) tem uma história complexa e uma cultura de politização estudantil, anarquismo, comunismo e contracultura alternativa", diz.

Os locais também têm seus próprios segredos, que os turistas geralmente deixam passar batido ao pular de um museu para outro. "Você come algumas das melhores comidas no mercado no centro de Atenas", diz Katilena Alpe, que se mudou de Londres para lá há 9 anos. "E não há muitas pessoas que sabem que Atenas tem uma rota do vinho e que os vinhedos em volta da cidade produzem ótimos vinhos".

O que mais é preciso saber?

Sendo a Grécia um dos países mais abalados pela crise econômica iniciada em 2008, a oferta de trabalho ainda é escassa e o desemprego em Atenas continua alto. Os locais reclamam da burocracia ineficaz do governo, que segundo eles traz obstáculos para recém-chegados ao mercado profissional.

"A papelada para pagar impostos e a burocracia grega requerem tradução, então vale a pena ter um amigo que possa ajudá-lo a lidar com o inferno burocrático para conseguir se instalar", diz Williams.

Por mais que os salários ali sejam em geral mais baixos, Atenas tem um dos mais baixos custos de vida da Europa - quase 50% menor que o Londres, por exemplo, segundo o site de comparação de preços Expatistan.com.

Os estrangeiros também gostam do fato de que a maioria dos atenienses fala inglês muito bem - embora tentar falar grego seja um objetivo de longo prazo. "Mesmo que você fale muito mal, o esforço é muito apreciado", diz Agnos.

Mesmo com seus desafios, os locais recomendam jamais perder a reverência por Atenas. "Eu acho que os expatriados mais felizes são os que agem como turistas", diz Agnos. "Eles visitam museus ou pegam barcos para ir a ilhas nos finais de semana, provando vários restaurantes e interagindo com os locais".

Mais Lidos

Publicidades