Alvará de soltura foi cumprido na noite desta quinta-feira (1º) em Uberlândia. Advogado de defesa teve habeas corpus deferido pelo STJ; G1 também procurou defesa do outro réu.

O acusado pela morte do engenheiro norte-americano que foi espancado em Uberlândia, Jefferson Batista Xavier, de 23 anos, foi colocado em liberdade após quase três meses cumprindo prisão preventiva no Presídio Professor Jacy de Assis. O alvará de soltura foi cumprido na noite desta quinta-feira (1º).

Vídeo mostra agressão a turista norte-americano em Uberlândia

O advogado de defesa do réu, Leandro Luiz de Araújo, informou que a liberdade foi concedida em sede de habeas corpus pelo Superior Tribunal Justiça (STJ) após entendimento de que não houve motivação para a prisão preventiva.

O jurista disse ainda que vai conseguir provar dentro dos autos que a morte da vítima foi uma fatalidade, pois acredita na competência do juiz do caso.

O acusado estava acompanhado do amigo Wallyson Romário dos Santos, que também foi indiciado pela Polícia Civil por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Como Herman acabou morrendo após a conclusão das investigações, a Promotoria de Justiça pede a reformulação do crime imputado.

Um dos advogados que representa Wallyson, Roberto Santana Pioli, esclareceu que vai pedir a extensão da decisão junto ao Tribunal de Justiça e à comarca de Uberlândia para que o cliente também possa responder ao processo em liberdade, uma vez que as imagens do fato comprovam que o réu não agrediu a vítima.

Crime

O crime ocorreu na madrugada do dia 8 de dezembro, quando o estrangeiro Herman Durwood, saía de uma casa noturna acompanhado de uma mulher e, após um desentendimento, foi agredido pelo jovem. Em entrevista na época, o advogado de Jefferson salientou que o local se tratava de uma casa de prostituição.

Em depoimento na Delegacia de Polícia Civil, a mulher disse que, assim que desceram as escadas da boate, ela e o engenheiro encontraram os dois suspeitos, de 23 anos. Foi iniciada uma discussão, e o suspeito empurrou o engenheiro, que revidou com outro ?empurrão?.

As câmeras de videomonitoramento da Polícia Militar flagraram o momento das agressões. O vídeo mostra o turista encostado em um muro na Rua Santos Dumont enquanto um dos agressores discute com eles. Instantes depois, o jovem agride o norte-americano com socos e chutes na cabeça. Em seguida, uma viatura policial aborda os agressores.

Devido aos ferimentos, o estrangeiro foi levado em estado grave para o HC-UFU e ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) até o último dia 6 de janeiro, quando foi solicitada a transferência para o país de origem. Ele faleceu dez dias depois.

A Polícia Civil indiciou os dois suspeitos pelo crime de tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Eles tiveram a prisão preventiva decretada e foram levados para o Presídio Professor Jacy de Assis.

O advogado Leandro Araújo conversou com o G1 sobre o caso alegando que o cliente teria sido agredido primeiro pela vítima, sendo alvo também de ofensa racista.


Mais Lidos