Segundo a Associação dos Magistrados do Trabalho, apenas 5 das 25 Varas do Trabalho no Maranhão tiveram atividades nesta quinta (15) por causa da paralisação de juízes federais. Nas outras 20 as audiências foram canceladas.

Juízes, Promotores e Procuradores federais se reuniram em São Luís na manhã desta quinta-feira (15), no Tribunal Regional do Trabalho da 16° Região, em adesão a uma manifestação nacional a favor da correção dos salários e manutenção do auxílio-moradia.

Segundo a Associação dos Magistrados do Trabalho, apenas 5 das 25 Varas do Trabalho no Maranhão tiveram atividades nesta quinta (15) por causa de uma paralisação de juízes federais. Nas outras 20 as audiências foram canceladas.

Uma ação sobre a manutenção do benefício está prevista para ser julgada este mês no Supremo Tribunal Federal, em Brasília. Mas segundo Saulo Fontes, presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho (Amatra), o foco do protesto não é apenas sobre o auxílio-moradia, mas pela garantia de direitos constitucionais.

?A gente quer uma solução definitiva a vários ataques que estamos sofrendo, como a aprovação de uma lei que trata do crime de violação de prerrogativas, que na verdade é uma ameaça à atuação jurisdicional do Ministério Público como forma de beneficiar aqueles que são perseguidos, às vezes por ações penais?, declarou.

Já o juiz federal Deomar Arouche falou em retaliação política e reforçou que a manifestação por direitos constitucionais.

?A categoria vem sofrendo o que entende serem retaliações, principalmente por ter atuado de maneira firme e contundente em processos de grande importância contra pessoas poderosas. Naturalmente, processos que envolvem grandes casos de corrupção?, afirmou o juiz.


Mais Lidos

Publicidades