Uma nova morte foi registrada no Hospital da Criança, mas ainda não foi confirmado se tem relação com o sarampo. Estado aguarda análise de 55 casos suspeitos da doença.

O aumento dos casos diagnosticados de pacientes com sarampo fez com que a prefeitura de Boa Vista decretasse situação de emergência na saúde. Na quinta-feira (15), a Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde estadual anunciou que uma criança venezuelana que morreu no início do mês tinha a doença.

O laudo veio do laboratório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Rio de Janeiro, para onde foram enviados vários outros exames de pacientes com suspeita da doença em Roraima. Em todo o estado, 18 casos de sarampo foram confirmados, um anulado e outros 55 seguem em investigação.

Na tarde de quinta, uma criança que estava internada com suspeita de sarampo no Hospital Santo Antônio morreu, mas o caso segue em análise para saber se tem relação com a doença.

Só na capital, 15 pacientes foram diagnosticados com sarampo trazido pelos imigrantes da Venezuela, segundo estudos da Fiocruz. Para a superintendente de Vigilância e Saúde de Boa Vista, Francinete Rodrigues, o número é preocupante, mas a população deve deve colaborar.

"O número [de casos identificados de sarampo] realmente está alto. A prefeitura vem realizando todas as ações necessárias, mas é importante que a população faça sua parte, indo para os postos de saúde para se vacinar".

Campanha de vacinação

Com o avanço da doença em Roraima, o governo antecipou a campanha de vacinação em todo estado. A meta estipulada foi de imunizar 430 mil pessoas.

O "Dia D" de imunização contra o sarampo, rubéola e caxumba ocorreu no último sábado, dia 10. Só em Boa Vista, 10.601 pessoas foram vacinadas, entre venezuelanos e brasileiros.


Mais Lidos