Nesta terça- feira (20), G1 acompanhou mudanças da integração e paradas do Centro e ônibus com destino à Zona Leste registraram lotação.

Passageiros reclamam de lotação no 2° dia do novo sistema de ônibus de Teresina

Os usuários do transporte coletivo de Teresina passaram novamente por transtornos ao utilizar o novo sistema de integração nas Zonas Sul e Sudeste da capital. Nesta terça- feira (20), no segundo dia útil da implantação do novo sistema, o G1 registrou novamente problemas com superlotação e poucos veículos circulando. Dessa vez, os problemas foram no Centro com destino à Zona Leste. A Strans informou que, para tentar reduzir as lotações, aumentou o número de veículos nas linhas da Zona Sul.

Um dos casos mais delicados encontrados foi o de Rita de Cássia, que viajou de São João do Piauí, 456 km de Teresina, com o objetivo de dar continuidade a um tratamento oncológico e tinha uma consulta marcada para as 7h. Contudo, às 8h30 ainda não tinha conseguido embarcar em um ônibus da linha 401 para o Hospital Universitário.

"A gente precisa viajar de uma cidade a outra, ficar na pensão, marcar consulta e aguardar a confirmação. Hoje seria mais uma etapa do tratamento, que não pode parar. Não sei que horas vou chegar lá nem se vou ser atendida", explicou ela dizendo que a lotação a impediu de subir no ônibus.

Em um dos ônibus com excesso de passageiros, a bolsa de um deles ficou presa na porta dos fundos. As pessoas que estavam à espera de ônibus reclamaram de descaso e falta de planejamento no sistema de transporte coletivo.

Em uma parada de ônibus próximo ao Hospital Getúlio Vargas, no centro da cidade, dezenas de passageiros reclamaram da superlotação nos veículos e alguns alegaram que seriam prejudicados por conta disso. Entre esses passageiros está Selma Elisa, estudante de técnico de enfermagem na Universidade Federal do Piauí (UFPI). Ela contou que mesmo saindo cedo de casa teve dificuldades para conseguir pegar os ônibus.

"Moro no Saci, pego três ônibus para chegar na Universidade. Peguei o primeiro às 5h e minha aula começa às 8h. Parece que tem menos ônibus disponíveis", disse.

João Batista, estudante de Educação Física na UFPI que também esperava na parada, disse que os ônibus estão mais cheios. "Já passaram ônibus lotados, bem param. Do bairro Morada Nova, onde moro, pra cá, já vi muitos na mesma situação", ressaltou.

Já Marlene Azevedo, do Bairro Parque Piauí precisa pegar 2 ônibus para chegar no Hospital Universitário(HU), mas também teve dificuldades já que os veículos da linha que passa pela UFPI passavam sempre lotados. "Eles não param, estou mais de 1h esperando é preciso marcar consulta. Quando eu chegar as senhas já acabaram", contou.

A Strans informou que, para tentar reduzir as lotações, aumentou o número de veículos nas linhas da Zona Sul. Ao todo, são quatro veículos de linhas troncais e sete de linhas alimentadoras a mais. O número de viagens também foi aumentado. Durante todo o dia de ontem (19), a Strans disse que agentes monitoraram o andamento do sistema e identificaram os problemas ocorridos.


Mais Lidos