Dados divulgados pela gestão no relatório anual de 2017 se referem às unidades da rede municipal de saúde. Conselho de Saúde defende ampliação de atendimentos.

As doenças relacionadas ao aparelho circulatório são a maior causa de óbitos registrados na rede municipal de saúde em Uberlândia. Conforme o Relatório Anual de Gestão, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) referente ao exercício de 2017, ocorreram 1.101 mortes sendo que a maioria delas (333) atingiu pacientes acima de 80 anos de idade.

Também houve três mortes envolvendo crianças com faixa etária de 1 a 4 anos. O Conselho Municipal de Saúde de Uberlândia comentou que há um gargalo na cidade por conta da redução dos atendimentos dessa natureza.

?A gente precisa que a UFU volte o atendimento com o ambulatório de vascular porque essa questão do aparelho circulatório envolve as cirurgias cardiovasculares, que é o gargalo hoje. A gestão quer um prestador que faz 100% SUS e até hoje não encontramos. Isso nos preocupa muito?, opinou a conselheira Tânia Lúcia dos Santos.

Os procedimentos são feitos por encaminhamento da rede municipal para o prestador do serviço, mas, desde que o Hospital Santa Catarina e o ambulatório do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) fecharam, a situação se agravou. Atualmente, o usuário fica flutuante e só consegue o atendimento na urgência e emergência, por meio de internação.

A Secretaria Municipal de Saúde esclareceu que já publicou dois editais para contratação de um novo serviço para procedimentos cardiovasculares, mas, até o momento, não apareceu nenhum prestador interessado. A secretaria reforçou que os pacientes que precisam destes procedimentos são encaminhados ao HC-UFU e Hospital Municipal.

Principais causas de mortabilidade
Doenças ligadas ao aparelho circulatório e neoplasias lideram óbitos na rede municipal
Fonte: Prefeitura de Uberlândia

Mortabilidade

Ainda segundo o relatório da SMS referentes aos índices de mortabilidade na rede, em segundo lugar (18%) aparecem as neoplasias (tumores) como causa de 726 mortes. As doenças do aparelho respiratório também representam número expressivo de óbitos (11,4%). No total foram registrados 3.857 óbitos nas unidades de saúde municipais.

Os casos de morte relacionados a acidentes, homicídios e suicídios acometeram 406 pacientes. Entre eles estão quatro bebês e nove crianças com faixa etária de 1 a 9 anos.

A administração esclareceu que o índice se deve ao aumento dos acidentes de trânsito, especialmente os envolvendo motocicletas, e reconheceu a necessidade de intervenções na busca de reversão do quadro.

Internações

O Município usou pouco mais de R$ 103 milhões de recursos federais com os atendimentos de média e alta complexidade, o que engloba as internações. A principal causa de internação no ano foi gravidez, parto e puerpério com 6.437 entradas.

Em seguida estão as causas externas provocadas por lesões, envenenamentos, acidentes de trânsito, entre outros, correspondendo a 4.798 das internações.

As doenças do aparelho digestivo ocupam a terceira causa com 4.152 pacientes internados seguidas das internações por doenças do sistema circulatório (4.094), sendo que 26,8% dos pacientes faleceram.

Morbidade hospitalar na rede municipal
Pacientes gestantes são maioria em número de internação
Fonte: Prefeitura de Uberlândia

Melhorias na rede

Diante ao diagnóstico, a pasta considerou no relatório que mantém o compromisso voltado à prevenção e promoção da saúde da população, buscando constantemente alternativas para garantir a qualificação necessária ao cuidado dos usuários dos serviços de saúde.

Confira algumas das ações pontuadas pela administração direta para serem desenvolvidas durante o cronograma anual:

  • Manter a capacitação dos profissionais para o trabalho humanizado em suas unidades
  • Padronizar as ações de gerenciamento
  • Acompanhar, supervisionar e monitorar os contratos de gestão e serviços saúde
  • Realizar a manutenção preventiva e corretiva
  • Efetivar as diretrizes clínicas e protocolos de técnicos e de atendimento
  • Monitorar os dados por meio do sistema de informação
  • Melhorar a execução orçamentária, integrando planejamento e financeiro
  • Focar em projetos, alinhados com os recursos disponíveis


Mais Lidos

Publicidades