Segundo as vítimas, a quadrilha agia sempre armada e com violência. Grupo criminoso realizou mais de dez assaltos na Zona Leste de Porto Velho.

Dois homens e três mulheres, com idades entre 22 e 27 anos, foram presos na tarde desta sexta-feira (20), em Porto Velho, por suspeita de envolvimento em vários de assaltos ocorridos na Zona Leste da capital.

A quadrilha foi localizada pela Polícia Militar (PM) dentro de um barraco de madeira, em uma área de invasão conhecida como Rosalina Carvalho, situada na mesma região onde aconteceu os roubos. Com os suspeitos, os militares apreenderam vários aparelhos elétricos e eletrônicos, peças de vestuários e uma bicicleta.

De acordo com a PM, cinco vítimas dos suspeitos foram identificadas e fizeram reconhecimento do grupo na Central de Polícia. ?Eles agem armados e são muito violentos, inclusive com crianças?, afirmou uma dona de casa que, no último dia 7, teve o imóvel invadido pelos criminosos.

?De arma em punho, dois homens e uma mulher invadiram nossa residência, renderam a família e nos trancaram em um quarto. Além de parte da mobília, eles roubaram quatro televisores e o carro da minha filha?, disse a dona de casa. Segundo ela, o veículo foi recuperado no mesmo dia, mas faltavam os pneus e diversos acessórios.

Outra vítima conta que teve a motocicleta roubada na quinta-feira da última semana, dia 12 de abril. ?Eu trafegava pela Avenida Amazonas, próximo a um conjunto habitacional, quando dois homens em uma moto fizeram abordagem e roubaram minha motocicleta?, relata, dizendo que os criminosos estavam armados. Segundo a vítima, a motocicleta não foi recuperada.

À Polícia Militar, um dos suspeitos alegou que o bando integra uma facção criminosa do Rio de Janeiro. ?Eles são conhecidos na Zona Leste porque vivem de fazer roubos?, afirmou um policial envolvido na prisão da quadrilha. De acordo com o militar, o revólver que era utilizado nos roubos foi apreendido na última quinta-feira (19), quando um membro do grupo foi preso por porte ilegal de arma.

?Cinco vítimas foram identificadas e chamadas para fazer identificação da quadrilha, mas é possível que haja outras vítimas?, destacou o militar, acrescentando que a Polícia Civil vai tentar identificar as pessoas que sofreram a ação dos criminosos.


Mais Lidos