No final da tarde deste sábado (26), poderá ocorrer colapso total de abastecimento, alerta vice-presidente do Sindipostos.

A Grande Fortaleza tem só 20 postos parcialmente com combustível, segundo o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Ceará (Sindipostos), Paulo Sérgio Pereira. Na região, são 290 postos, conforme o sindicato.

"Motoristas que tiverem condição, complete o tanque, porque o que tem estoque vão esvaziar até o final da tarde, vamos entrar em colapso total de abastecimento", alerta Paulo Sérgio.

A falta do produto é consequência do desabastecimento com o 6º dia de protestos de caminhoneiros. No Ceará, a greve afeta serviços nos supermercados, farmácias, trânsito, Ceasa e aeroportos.

6º dia de paralisação

A paralisação de caminhoneiros em todo o país, motivada pela alta no preço do combustível, chegou ao 6º dia neste sábado (26). No Ceará, 14 trechos estão bloqueados nas rodovias, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Além das barreiras nas rodovias, caminhoneiros e motoristas seguem com manifestações nas principais vias de acesso a Fortaleza. Manifestantes fazem um ato nos acessos ao Porto do Mucuripe desde a quinta-feira (24), a fim de evitar possível desembarque de combustível.

Apesar dos protestos, caminhões com combustível deixaram na manhã a base de tancagem do Porto do Mucuripe, para abastecer ambulâncias, viaturas, carros governamentais e para o Aeroporto Internacional de Fortaleza. Os caminhões só deixaram o local depois de um acordo entre manifestantes e a PRF-CE, segundo Paulo Sérgio Pereira. Os caminhões foram escoltados por equipes da Polícia Rodoviária Federal do Ceará.

Protesto segue pacífico

Conforme Antônio Evangelista, diretor da Associação dos Motoristas de Transporte Individual Privado de Passageiros, grupo que está no Porto do Mucuripe, cerca de 200 motoristas de aplicativo e caminhoneiros participam do protesto. Ele conta a principal reclamação do grupo é o aumento no valor da gasolina. ?Continuamos aqui no Centro de Distribuição dos combustíveis. Estamos aqui com 200 veículos em um ato pacífico contra o aumento do combustível?, disse.

Já na Avenida Maestro Lisboa cerca de 60 motoristas de caminhões se concentram em um trecho da via. Segundo um dos organizadores o ato é pacífico e que alguns motoristas devem se dirigir ao Porto Mucuripe.


Mais Lidos