Entre os demais denunciados est?o secret?rios e ex-secret?rios estaduais e assessores parlamentares

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou, neta sexta-feira (14), o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, dez deputados estaduais e mais 17 pessoas por um esquema de propinas na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Entre os demais denunciados estão secretários e ex-secretários estaduais e assessores parlamentares.

Ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, no IML de Curitiba
Ex-governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, no IML de Curitiba
Foto: Rodrigo Félix/AGÊNCIA DE NOTÍCIAS GAZETA DO POVO / Estadão Conteúdo

De acordo com a denúncia apresentada hoje ao Tribunal Regional Federal na 2ª Região (TRF2), o esquema envolvia nomeações viciadas e pagamentos de propinas a deputados em troca de apoio aos governos de Cabral e de seu sucessor (que também está preso por outra investigação), Luiz Fernando Pezão.

Além de Cabral, foram denunciados os ex-presidentes da Alerj Jorge Picianni e Paulo Melo (ambos do MDB) e os parlamentares André Correa (DEM), Edson Albertassi (MDB), Chiquinho da Mangueira (PSC), Coronel Jairo (SD), Luiz Martins (PDT), Marcelo Simão (PP), Marcos Abrahão (Avante) e Marcus Vinicius "Neskau" (PTB).

Os dez deputados foram presos na Operação Furna da Onça, desencadeada no início de novembro, e que serviu de base para a denúncia apresentada hoje. Picciani, Melo e Albertassi já estavam presos desde a Operação Cadeia Velha, no final de 2017. O MPF acusa os denunciados pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Veja também:

 

Ag?ncia Brasil Ag?ncia Brasil

Mais Lidos