Os Estados Unidos não estão interessados em terminar o conflito militar na Ucrânia e fazem de tudo para garantir sua continuação, afirmou o deputado da Suprema Rada (parlamento ucraniano) Yevgeny Muraev ao canal de televisão NewsOne.

Segundo Muraev, a Ucrânia deve estabelecer a paz no seu território e cancelar todas as sanções estabelecidas pelo governo atual para voltar a manter relações normais com os países vizinhos e reativar a economia. No entanto, Washington não permitirá isso, porque essas medidas restritivas visam o enfraquecimento da União Europeia e da Rússia.

"Esses são dois adversários geopolíticos dos EUA, por isso, a partir da gestão externa com todos os métodos possíveis, eles estão tentando fomentar o conflito militar no território do nosso país", declarou o político.

O deputado ainda salientou que as autoridades ucranianas atuais estão favorecendo Washington nessa questão, portanto "traindo a pátria".

Em abril de 2014, as autoridades ucranianas começaram uma operação militar contra as repúblicas autoproclamadas de Donetsk e Lugansk que declararam independência depois do golpe de Estado na Ucrânia em fevereiro de 2014. Segundo os últimos dados da ONU, mais de dez mil pessoas foram já vítimas do conflito.