O chefe do Conselho de Seguran?a e Defesa Nacional da Ucr?nia, Aleksandr Turchinov, falou sobre testes bem-sucedidos dos novos m?sseis de cruzeiro que dever?o refor?ar as defesas costeiras nos mares Negro e de Azov.

De acordo com Turchinov, na quarta-feira (5) na região de Odessa foram testados novos mísseis de cruzeiro ucranianos capazes de atingir alvos a uma distância de 280 quilômetros. Além disso, foi "elaborado um sistema de defesa costeira com ajuda do sistema de mísseis modernizado S-125".

Segundo Aleksandr Turchinov, o objetivo principal dos mísseis de cruzeiro foi a verificação do alcance e a pontaria dos alvos de superfície. Além disso, os resultados desses exercícios mostraram a eficácia do S-125 modernizado.

"Foram realizados oitos lançamentos, durante os quais oito alvos de superfície foram destruídos. Isso é um bom resultado, o que prova que estes sistemas modernizados são capazes de garantir uma proteção sólida contra a agressão proveniente do ar e do mar, e reforçar significativamente a defesa costeira das costas do mar Negro e do mar de Azov", disse Turchinov citado pela assessoria de imprensa da entidade. 

Ainda com a entidade militar ucraniana, após analisar os testes, Turchinov realizou uma reunião com os fabricantes de mísseis e os líderes militares da Ucrânia "para priorizar os reforços da proteção da região dos mares Negro e de Azov".

Na terça-feira (27), um tribunal russo ordenou a prisão preventiva de 15 dos 24 marinheiros ucranianos detidos pela guarda fronteiriça russa. Na segunda-feira (26), o parlamento ucraniano aprovou a introdução da lei marcial em algumas regiões do país por 30 dias.

No dia 25 de novembro, três navios da Marinha Ucraniana (Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu), juntamente com suas tripulações, foram detidos por violarem a fronteira nacional da Rússia, infringindo os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre o direito marítimo.