Militantes da Ásia Central e da Chechênia que combatem na Síria estão ativamente fortalecendo suas posições, escavando novas trincheiras e expandindo as passagens subterrâneas.

Esta informação foi prestada à Sputnik Árabe por um comandante militar do Exército sírio que serve no norte da província de Latakia, comunicando que os terroristas estrangeiros ignoram a operação militar controlada pela Turquia de retirada de terroristas da Síria.

Os membros dos grupos Frente al-Nusra (proibido na Rússia e em vários outros países), da Organização dos Guardiões da Religião e do Partido Islâmico do Turquestão reforçam suas posições perto da aldeia de Kabbani, localizada próxima à fronteira com a província de Idlib, disse uma fonte do Exército sírio.

O militar sírio disse que, num futuro próximo, se deve esperar um aumento de tensões na área. É evidente que os terroristas, provenientes de diferentes países, não cederão a região, que é estrategicamente importante.

O fato é que o território ocupado pelos militantes faz fronteira com as províncias sírias de Latakia e Idlib, assim como com a Turquia.

Devido à posição geograficamente privilegiada, é possível ter um maior controle das áreas nas proximidades, além de ter uma enorme vantagem sobre as unidades de infantaria do Exército sírio. Além disso, os militantes bombardeiam regularmente assentamentos com civis, obrigando a artilharia do exército a disparar de volta como resposta.