A estrela de Hollywood e a embaixadora de boa vontade da ONU, Angelina Jolie, pediu ao Conselho de Segurança da ONU que "encontre um caminho" para resolver a crise síria.

Realizando sua quinta viagem ao acampamento Zaatari na Jordânia, Angelina Jolie disse que "a ajuda humanitária não é uma solução a longo prazo" para a crise síria e pediu uma solução imediata à guerra civil que assola o país.

"É doloroso retornar à Jordânia e testemunhar os níveis de dificuldades e trauma entre os refugiados sírios enquanto esta guerra entra em seu oitavo ano", disse Jolie. "Um acordo político viável é o único meio de criar condições para que os sírios possam retornar às suas casas, acabar com o sofrimento humano e a pressão sobre os países de acolhimento", acrescentou.

Jolie, que é enviada especial para o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), disse que os países vizinhos da Síria, a saber a Jordânia, o Líbano, a Turquia e o Iraque já receberam cerca de 5,5 milhões de refugiados do conflito.

"Eles realmente são um exemplo para um mundo em que a solidariedade com os refugiados é escassa", disse Jolie a repórteres.

Durante sua visita, a atriz de Hollywood encontrou-se com famílias que vivem no campo, que abriga cerca de 80 mil pessoas. Ela observou que a crise síria está fora de controle há anos e que o ACNUR não tem fundos suficientes para prover necessidades básicas aos refugiados.

De acordo com Jolie, o trabalho do ACNUR para o conflito na Síria só recebeu 50% do financiamento necessário no ano passado e apenas 7% desde o início de 2018.

"Exorto os membros do Conselho de Segurança a virem à região, a visitarem os campos e os refugiados urbanos e encontrar uma maneira de finalmente levar todo o peso da ONU e da comunidade internacional para resolver esse conflito", disse ela. repórteres.

A Jordânia abriga 650 mil refugiados registrados, de acordo com estimativas da ONU.


Mais Lidos

Publicidades