Durante coletiva de imprensa, a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, declarou que a Rússia é contra as sanções endereçadas a Caracas.

"São absolutamente hipócritas as decisões de Washington sobre a introdução de sanções unilaterais em relação à Venezuela e a seu sistema financeiro", declarou Zakharova.

Ela acrescentou que "a Rússia é categoricamente contra as medidas restritivas, ilegais e arbitrárias, embargo e sanções adotadas contra governos soberanos em desafio à Carta da ONU".

Maria Zakharova notou que a decisão de uma série de países de não reconhecer os resultados das eleições presidenciais na Venezuela, que venceu Nicolás Maduro, é "contraproducente e leva a um beco sem saída".

Por exemplo, a União Europeia e seus Estados-membros confirmam a intenção de analisar a questão para aplicação de "medidas adequadas" em relação ao país latino-americano, já que, para eles, as eleições não correspondem ao "mínimo dos padrões internacionais".

Em 20 de maio, na Venezuela foram realizadas as eleições presidenciais. Conforme os dados do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, o atual chefe de Estado, Nicolás Maduro, venceu com o apoio de 6,19 milhões de votos.


Publicidades