O novo tanque russo T-14 Armata supera todos os projetos existentes da OTAN, afirma o especialista militar britânico Nicolas Drummond em uma entrevista para a revista Stern.

O analista lembrou que a Rússia tem "uma longa história de tanques excelentes", começando com o lendário tanque soviético T-34 que "combina uma série de caraterísticas avançadas que superaram as de outros tanques de sua época'. 

Hoje em dia, "o T-14 é outro projeto inovador" e todos os relatórios ocidentais indicam que ele se destaca por "um desenvolvimento avançado" e que sua produção "já está consolidada", sublinhou o especialista, acrescentando que uma avaliação do Exército britânico concluiu que o T-14 "supera os projetos existentes da OTAN".

"Deveríamos já estar preocupados, especialmente se o tanque for produzido em grandes quantidades", assegurou Drummond.

Em particular, o analista destacou "quatro caraterísticas notáveis" do tanque russo. Em primeiro lugar, o T-14 tem uma cabina central para a tripulação com armação adicional que oferece uma proteção muito alta. 

Além disso, a arma principal se encontra em uma torreta não tripulada controlada de forma remota, por isso a tripulação está completamente separada da zona de munições. Esta configuração não apenas aumenta a capacidade de sobrevivência da tripulação, mas também permite reduzir o peso de maneira significativa, conduzindo a uma surpreendente relação potência/peso/mobilidade. 

Finalmente, um novo canhão de 152 mm substituirá o canhão atual de 125 mm. Isso dará ao T-14 a capacidade de lutar contra "todos os tanques da OTAN", incluindo o alemão Leopard 2, sem se colocar ao seu alcance, situação em que "nossos tanques seriam irremediavelmente inferiores", alertou o especialista.