Os EUA acrescentaram uma empresa russa e uma chinesa à sua lista de entidades sancionadas por supostamente apoiarem o programa nuclear e de mísseis da Coreia do Norte. A informação foi divulgada pelo Departamento de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento do Tesouro nesta quinta-feira (13).

As sanções foram impostas à empresa Volasys Silver Star, registrada em Vladivostok, e à companhia chinesa Yanbian Silverstar Netrwork Technology. As medidas restritivas também incluem um cidadão da Coreia do Norte, Yeung Song Wa.

Da mesma forma, as sanções aplicadas pelos EUA contra a Rússia custaram a Moscou dezenas de bilhões de dólares, disse a vice-secretária de Assuntos Econômicos e Negócios do Departamento de Estado, Manisha Singh, durante uma audiência na Câmara dos Deputados.

"Estimamos que nossas sanções, cumulativamente, custaram ao governo russo dezenas de bilhões de dólares, além de um impacto mais amplo nos setores nas mãos do Estado e um efeito geral sobre as perspectivas de sua economia", disse ela.

Anteriormente, a diplomacia russa havia declarado que Moscou iria levar ao Conselho de Segurança da ONU a possibilidade de atenuar as sanções impostas à Coreia do Norte.