Mesmo onde o número de animais disponíveis é limitado, as indústrias não estão remunerando melhor por falta de demanda

A oferta maior que a demanda permite aos frigoríficos manter a pressão de baixa no mercado do boi gordo, aponta a Scot Consultoria. Em São Paulo, por exemplo, a cotação caiu pelo segundo dia consecutivo e ficou em R$ 138,00, à vista, livre de Funrural, na última terça-feira, dia 15.

Entre as praças pesquisadas, Dourados (MS) registrou a queda mais acentuada do início do mês até agora, com recuo de 3% no valor da arroba. Na região, as escalas de abate giram em torno de sete a oito dias, cenário que colabora para ofertas de preços abaixo da referência.

Mesmo em Rondônia, onde a oferta de boiadas está mais limitada, não há a necessidade das indústrias em ofertar preços maiores para atender a demanda vigente.

A entrada da segunda quinzena do mês, época em que sazonalmente o consumo de carne bovina cai, pode colaborar com o aumento de pressão no mercado.
 


Mais Lidos