Tabelamento do frete prejudicou escoamento de insumos, nublando ainda mais os custos

Com a pressão no mercado do boi gordo, os negócios de animais para reposição estão lentos. De acordo com a Scot Consultoria, havia expectativa de que o consumo melhorasse e os estoques fossem recompostos após a greve dos caminhoneiros, mas a demanda não reagiu como esperado. Assim, recriadores e invernistas se afastaram.

Na média de todas as categorias e estados pesquisados pela consultoria, as cotações fecharam com queda de 0,1% frente ao levantamento da última semana. Destaque para o boi magro, que registrou a maior desvalorização semanal, 0,4%.

Neste período do ano, os negócios com essa categoria aumentam. “Porém, as incertezas quanto ao resultado do confinamento afastaram os compradores”, destaca Breno de Lima, analista da Scot.

Vale ressaltar que o imbróglio causado pelo tabelamento dos fretes travou o escoamento de grãos, tornando ainda mais incerto o cenário para os custos da boiada de cocho.  

Lima finaliza dizendo que enquanto o cenário não for favorável ao confinamento, as categorias mais eradas tendem a ser menos procuradas e as cotações devem sofrer pressão de baixa.


Mais Lidos