Negócio ocorre dias após governo norte-americanos proibirem empresas de venderem componentes para a chinesa ZTE.

O Alibaba comprou uma fabricante chinesa de microchips para ampliar seu negócio de "internet das coisas" baseado em computação na nuvem.

O anúncio, feito nesta sexta-feira (20), surge dias após os Estados Unidos proibirem empresas americanas de vender chips e outros componentes para a empresa de telecomunicações chinesa ZTE por sete anos.

O movimento reacendeu a discussão na China sobre autossuficiência na cadeia de suprimentos de tecnologia. No calor da proibição da ZTE, autoridades chinesas tiveram reuniões nesta semana com entidades do setor, órgãos reguladores e o poderoso fundo de chip do país para acelerar planos já agressivos para o setor, disseram duas pessoas com conhecimento direto das negociações.

"A aquisição da Hangzhou C-SKY Microsystems, um dos principais fornecedores chineses de núcleos de CPU embutidos, reforça nosso compromisso de impulsionar o desenvolvimento da indústria de chips", disse a porta-voz, referindo-se às unidades de processamento central, em comunicado.

"O Alibaba quer capacitar diferentes indústrias através de nossas soluções de internet das coisas baseadas em nuvem, nas quais os chips desempenham papel significativo", disse. O Alibaba não divulgou os termos da aquisição, a primeira envolvendo uma fabricante de chips.


Mais Lidos