Desembolsos do banco de fomento devem recuar pelo quinto ano consecutivo.

Os empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) somaram R$ 27,8 bilhões de janeiro a junho, uma queda de 17% ante mesma etapa de 2017, indicando que os desembolsos do banco de fomento devem ter o quinto ano consecutivo de retração.

Segundo os dados revelados pela instituição nesta terça-feira, as aprovações, que são uma etapa anterior à efetiva concessão dos créditos, caíram 10% no período, para R$ 30,26 bilhões. Enquanto isso, as consultas, primeira fase do processo, cresceram 4%.

Refletindo o efeito combinado de recessão econômica do país, a troca de uma taxa subsidiada (TJLP) por outra de mercado (TLP) para concessão de crédito e o fim das injeções de recursos pelo governo federal, o BNDES teve em 2017 o quarto ano seguido de declínio dos desembolsos, a R$ 70,8 bilhões, atingindo o menor nível em uma década.

Apesar do ritmo ainda cadente dos últimos meses, o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, tem insistido que as concessões do banco no acumulado de 2018 devem ficar entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões. A previsão do antecessor dele na presidência do BNDES, Paulo Rabello de Castro, era de R$ 80 bilhões, que já tinha sido diminuída em relação à estimativa inicial de R$ 90 bilhões.


Mais Lidos