Segundo coordenador do indicador, empresários do setor tendem a continuar cautelosos diante dos níveis elevados de incerteza política e econômica.

O índice de confiança do comércio da Fundação Getulio Vargas (FGV) recuou 0,8 ponto em julho, de 89,6 pontos, para 88,8 pontos, atingindo o menor nível desde agosto de 2017 (84,4 pontos). Trata-se da quarta queda mensal seguida no indicador.

Índice de confiança do comércio
Em pontos
Fonte: FGV/Ibre

"O resultado negativo de julho sugere que o setor continua perdendo o fôlego da recuperação que vinha ocorrendo até o início do ano. A avaliação desfavorável sobre a demanda e a vagarosa retomada do mercado de trabalho contribuíram para a piora da percepção sobre a situação atual. Os resultados indicam que os empresários do setor continuarão cautelosos nos próximos meses, sob influência dos níveis elevados de incerteza política e econômica?, afirma Rodolpho Tobler, coordenador da sondagem.

O Índice de Situação Atual caiu 0,7 ponto, para 86,5 pontos, menor nível desde dezembro de 2017.

O indicador de percepção dos empresários com o volume de da demanda no momento recuou 3,1 pontos, para 86,3 pontos.

Após um ensaio de recuperação, o índice de confiança do comércio voltou a atingir no início do ano níveis próximos do período do início da recessão, em meio a expectativas de recuperação da demanda. "Porém a partir de maio, com os problemas de distribuição decorrentes da greve dos caminhoneiros, os empresários do setor parecem estar ajustando o nível dos estoques", destaca o relatório.