Ao fazer o seu balanço de um ano de gestão, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, estava acompanhada da cúpula de procuradores do órgão e seus mais importantes conselheiros.

Dodge apresentou dados acompanhada do vice-procurador-geral, Luciano Mariz Maia, e do vice-procurador-geral eleitoral Humberto Jacques de Medeiros, mas outros importantes quadros da equipe ficaram sentados em meio aos jornalistas.

Entre eles, estava a procuradora Raquel Branquinho, responsável pela secretaria de função penal originária do Supremo Tribunal Federal (STF), e que cuida dos casos de foro privilegiado na Lava Jato.

Outros dois presentes eram o procurador Alexandre Camanho, secretário-geral jurídico, e Antônio Morimoto, que atua na Superior Tribunal de Justiça (STJ).

No balanço, Dodge enfrentou questões importantes como a questão dos arquivamentos de denúncias e a prioridade da acusação pelo Ministério Público Federal, além de defender as delações premiadas mesmo sem ter fechado muitas.

Mais Lidos