Investigado pelo Ministério Público Federal por supostas vinculações com políticos, Felício Laterça disse ao diretor-geral da PF, Fernando Segovia, que quer 'limpar o nome' fora do cargo.

O delegado Felício Laterça não será mais o superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro. Ele desistiu da indicação após uma conversa por telefone, nesta sexta-feira (2), com o diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia.

Indicado para comandar todas as operações da Polícia Federal no Rio, inclusive as da Operação Lava Jato, Laterça é alvo de investigação do Ministério Público Federal por supostas vinculações com políticos do estado, que ele nega.

O delegado é filiado ao PSC. Além disso, o irmão dele, Rodolfo Laterça, trabalhava até recentemente no gabinete do deputado estadual Chiquinho da Mangueira, do PMDB.

De acordo com fontes da Polícia Federal, Laterça teria dito durante a conversa por telefone com Segovia que quer ?limpar o nome? e que preferia fazer isso fora do cargo de superintendente.

Segovia havia telefonado para Felício Laterça a fim de conversar sobre as denúncias que surgiram após a indicação dele para o cargo. Nessa conversa, Laterça teria dito que é alvo de perseguição.

O delegado foi acusado de ter ligação com políticos da região de Macaé, no Rio de Janeiro, onde chefia a delegacia da Polícia Federal. A delegacia funciona em um imóvel alugado pela prefeitura.

Mais Lidos

Publicidades