Alimentos

Pragas: Saiba como evitá-las no seu plantio

Evitar pragas é uma tarefa que faz parte do dia a dia do produtor agrícola, tendo em vista que elas são uma realidade em lavouras e plantações.

O próprio clima tropical do Brasil favorece o surgimento de bactérias, ervas, animais e fungos que podem prejudicar seriamente o plantio.

Não importa se você está cultivando uma pequena horta ou uma plantação inteira para comercializar. As pragas podem aparecer e elas precisam ser bem cuidadas e evitadas para que não prejudiquem o cultivo.

Elas podem ser um problema ainda maior quando falamos de hortas, pois nesses espaços cultivamos alimentos, ou seja, produtos que serão consumidos no futuro, e por esse motivo, precisam de qualidade e segurança.

Sem falar no fato de que nenhum supermercado ou qualquer outro tipo de ponto de revenda vai se interessar por uma mercadoria visivelmente danificada por pragas. Sem falar que, nos jardins, podem estragar totalmente a beleza do local.

Se você está enfrentando esse tipo de problema ou quer simplesmente evitá-lo, não deixe de ler este artigo.

Vamos explicar o que são pragas, como é necessário lidar com esse problema e listar algumas dicas para evitá-las. Confira!

Afinal, o que são pragas?

Existem muitos insetos e outros tipos de seres que prejudicam as plantas, mas apenas quando boa parte da área plantada está comprometida é que esse problema pode ser considerado uma praga.

Também é necessário avaliar o tamanho, a proporção do prejuízo, entre uma série de características que ajudam a determinar a presença desse problema.

Mais importante ainda é saber como prevenir e como lidar com a praga quando ela já apareceu. Existem vários métodos voltados para esses objetivos que podem funcionar, mas é sempre importante saber o tipo de praga que está enfrentando.

Equipamentos agrícolas, como disco de grade de trator, ajudam a manter os cuidados na região agrícola, mas quando se trata de pragas, é fundamental conhecer seus principais tipos. São eles:

  • Corós;
  • Lagarta da espiga do milho;
  • Caruru-palmeri;
  • Mosca-branca;
  • Larva-minadora.

Os corós são larvas de besouro, sendo muito comuns em plantações de milho e trigo. Costumam viver embaixo da terra e se alimentam por meio de plantas e raízes. Antes de fazer o plantio, é fundamental preparar o solo para evitar sua proliferação.

Outra praga agrícola muito comum é a lagarta da espiga do milho, a principal destruidora de safras no país, chegando a prejudicar 21 toneladas.

O caruru-palmeri é uma erva daninha exótica e que pode prejudicar qualquer plantação. Apenas uma consegue reproduzir cerca de um milhão de sementes e todas elas vão infestar rapidamente o espaço.

Assim, uma empresa de mão de obra terceirizada que cuida das plantas ações precisa ter muito cuidado com essa planta que pode se tornar resistente a alguns tipos de herbicidas.

Quanto à mosca branca, é muito comum em cultivos frutíferos e pode levar a uma perda de até 90% da safra, portanto, é um problema muito grave e perigoso para as plantações.

Por fim, a larva-minadora constrói galerias dentro das folhas, prejudicando sua capacidade de fotossíntese e fazendo com que a espécie morra, principalmente tomateiros e frutos cítricos.

Como lidar com as pragas?

Um dos maiores desafios dos agricultores é controlar as pragas nas plantações, um problema que causa perdas significativas, podendo levar a danos irreversíveis em toda a lavoura.

O surgimento de pragas pode gerar custos extras e interferir na qualidade produtiva. Consequentemente, para o agricultor, isso se traduz em perda de competitividade e espaço para os concorrentes.

No entanto, existem muitas maneiras de lidar com os prejuízos trazidos pelas pragas, e dentre elas estão:

1 – Fazer o controle biológico

Fazer o controle das pragas reduz os impactos ambientais consideravelmente, e seu princípio é a inserção de parasitóides, patógenos e predadores que vão ajudar a combater os insetos prejudiciais.

Um totem fachada ajuda a sinalizar o local onde é necessário fazer o controle biológico, o que favorece o crescimento saudável das plantas e não apresenta riscos ambientais.

Mas para utilizar esse método, é necessário identificar as pragas que devem ser combatidas, pois é assim que o responsável pela plantação vai escolher o tipo de predador ideal.

2 – Usar inseticidas, repelentes e pesticidas

Mesmo tendo uma rotina de cuidados e prevenção, existem algumas pragas que resistem e atacam a lavoura mesmo assim. Quando isso acontece, o ideal é usar inseticidas, repelentes ou pesticidas.

Além dos inseticidas químicos encontrados no mercado, é possível fazer os caseiros, misturando arruda, farinha de trigo, leite, sabão e caldo de fumo. Essa solução é perfeita para combater pulgões, ácaros, lagartas e cochonilhas.

Para aplicá-la, é necessário usar um pulverizador, mas se a praga for um pouco mais resistente ou estiver muito infestada, como no caso das moscas brancas, a melhor opção é usar a pulverização de inseticida industrializado.

3 – Cuidar do manejo

Assim como a assentar paver ajuda a manter o jardim e a horta mais bonitos, existem alguns cuidados fundamentais contra as pragas que podem afetar esses locais.

Evite plantar em regiões onde já houve o ataque de pragas anteriormente, a não ser que o problema tenha sido devidamente tratado e o solo tenha recebido todos os cuidados necessários.

Também evite usar mudas e sementes doentes ou provenientes de plantações atacadas. No que diz respeito aos cuidados no canteiro, é fundamental manter um espaço limpo entre as fileiras de plantas para evitar encharcamento.

O excesso de umidade colabora com o surgimento de muitas pragas, portanto, prefira plantar hortaliças em locais com cerca de um palmo de altura, pois isso faz com que o escoamento seja mais eficiente.

4 – Fortalecer as plantas

O uso de gradil ferro e aço protege as plantações contra a ação de roedores, mas outras estratégias podem fortalecer ainda mais as plantas.

Fortificá-la se é necessário para que se tornem mais resistentes às pragas, portanto, além de cuidar de seu manejo, é necessário nutrir a cultura.

Uma forma de fazer isso é usar um bom sistema de irrigação e adubação que vai garantir a nutrição adequada para o plantio.

5 – Usar armadilhas

Você pode fazer algumas armadilhas caseiras e instalá-las próximas às culturas, como o lampião e uma bacia com água ou óleo queimado, atraindo os insetos para longe da plantação.

Para lidar com lagartas e lesmas, o ideal é espalhar sacos ou lonas molhadas ao fim do dia, pois elas atraem esses animais para a parte de baixo, e elas devem ser retiradas pela manhã.

Como evitar pragas

Para usar um lacre personalizado para TAG e divulgar a marca durante a distribuição dos alimentos, primeiro é necessário garantir a qualidade do produto, e uma das formas de fazer isso é evitando as pragas.

Uma das maneiras de evitar o surgimento desses visitantes desagradáveis é colocar as mãos na terra. Fazer a manutenção e a vistoria regular ajuda a identificar doenças e pragas que se alastram rapidamente.

Procure notar se as plantinhas estão infectadas, e caso estejam, é preciso isolá-las para evitar que contamine o restante da plantação.

Dê muita atenção para o solo porque ele garante que as plantas tenham acesso aos nutrientes necessários para o crescimento saudável. Se ele não for bom o suficiente, vai colaborar com a proliferação de doenças e pragas.

Quem cultiva diferentes produtos para um sistema de distribuição de alimentos deve regar e adubar a terra para que ela esteja sempre fértil, além de manter o manto de folhas secas e capim para manter a umidade.

O ideal é fazer a rega pela manhã, pois toda a água colocada no plantio terá tempo para secar ao longo do dia. Lembrando que a rega ideal é apenas do solo e não das folhas, pois isso aumenta as chances de serem atacadas por fungos.

A diversidade da plantação também é fundamental para preservá-la, tendo em vista que algumas pragas preferem alguns tipos de vegetais. Se o cultivo é diversificado, fica mais fácil evitar que o problema se alastre.

Utilize uma placa de inox personalizada para identificar as plantas dentro da horta, de modo que você não as confunda e assim possa variar bastante para evitar o surgimento de qualquer inseto ou animal que prejudique o cultivo.

Outro hábito importante é que não se deve matar abelhas, joaninhas e minhocas, porque esses insetos exercem um papel essencial nas plantações.

Considerações finais

Cultivar uma plantação ou até mesmo uma pequena horta em casa é sinônimo de responsabilidade, para que as plantas possam crescer saudáveis e geram frutos nutritivos para o cultivo e revenda.

Portanto, evitar pragas é um cuidado muito importante e que faz toda a diferença para a saúde das plantas e sua longevidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo