Um problema de aprendizagem é uma condição que surge cedo, e com a qual a criança deve aprender a conviver. Reconhecer o problema a tempo é essencial. Conheça algumas características dessa condição.

Angélica tem 4 anos e pela primeira vez na vida vai para a escola. Na aula, não fala nem socializa com as outras crianças, nem ao menos parece seguir as ordens das professoras. O psicólogo da escola e a professora sugerem aos pais de Angélica que ela possa ter problemas de aprendizagem.

Em pouco tempo, os pais de Angélica têm que se reunir três vezes com os profissionais da escola. Em casa, Angélica é uma menina falante e interessada em aprender o que sua mãe e seu pai mostram; mas isso não é o que acontece na escola.

A pressão afeta os pais de Angélica, que a levam a uma consulta com um neuropediatra. Depois de uma avaliação, o médico conclui que não há nada fora do normal. Simplesmente, Angélica é diferente de seus colegas de turma, assim como todas as crianças são diferentes entre si.

Pouco tempo depois, acontece o ?milagre?: Angélica começa a socializar, interessa-se pelo que a professora ensina e conversa animadamente com ela e os colegas de sala.

Cada criança tem o seu ritmo

Mãe ensinando filho com problemas de aprendizagem a cozinhar

A história anterior foi vivida por muitos pais, filhos, professores e profissionais da área da saúde. Ainda que seja comum dizer que ?cada criança tem o seu ritmo?, não são poucas as vezes em que a angústia exagerada nos faz enxergar problemas onde não há.

O começo da vida escolar traz problemas de todo tipo, mas a maioria deles será resolvida em um determinado momento. A pré-escola é divertida, as crianças aprendem brincando e os professores tem um tratamento próximo e pessoal.

À medida em que as crianças crescem, as matérias escolares se tornam mais complicadas, as tarefas aumentam e as relações com os colegas tem novas e diferentes nuances. A criança é mais consciente de suas capacidades e limitações. Alguns se saem bem, outros nem tanto.

Quando os problemas de aprendizagem são detectados?

Ainda que grande parte dos profissionais diga que quanto mais cedo for diagnosticado o transtorno de aprendizagem, melhor, o que acontece é que com crianças pequenas, corre-se o risco de chegar a diagnósticos exagerados.

O especialista é quem dá o diagnóstico de um transtorno de aprendizagem, de preferência quando a criança chega ao ensino fundamental escolar, ou seja, por volta de 7 e 8 anos de idade.

As dificuldades de aprendizagem afetam o processamento de informação. Por exemplo: a criança demora para aprender a leitura e a escrita, e geralmente tem problemas com matemática. Ela pode entender do que se trata, mas não consegue expressar corretamente.

Isto não só afeta seu rendimento escolar, mas também sua capacidade de se relacionar com os outros.

Primeiros sinais de problemas de aprendizagem

Pai ensinando filho com problemas de aprendizagem a escrever

Nas crianças menores de 5 anos, os sinais que indicam que a ela possa ter problemas de aprendizagem são as que veremos a seguir. No entanto, insistimos, não se desespere. É importante ter paciência, observar seu filho e perceber sua evolução. Os sinais são:

  • Problemas com coordenação motora, como escrever, rasgar, caminhar, recortar, abotoar, fechar zíper ou amarrar cadarços.
  • Dificuldades em seguir instruções simples, que para ela parecem muito complicadas e impossíveis de executar.
  • Atraso na fala, problemas de pronúncia, dificuldade em aprender novas palavras.
  • Dificuldade para ler, com os números, o alfabeto, os dias da semana, as cores, as figuras geométricas.
  • Problemas para se concentrar ou prestar atenção.
  • Sente-se frustrado ou desmotivado para fazer atividades escolares ou em outros momentos da sua vida familiar e social.

Indicadores de problemas de aprendizagem em crianças maiores

  • Não querem falar sobre seus estudos e demoram tempo demais fazendo suas tarefas.
  • Ficam chateadas e não têm interesse na escola.
  • Comportam-se mal na escola ou são agressivos.
  • Enfrentam problemas para identificar e expressar seus sentimentos.
  • Apresenta dificuldades para dormir ou comer.

Confirmado: tem transtorno de aprendizagem

Mãe ensinando filho com problemas de aprendizagem

As crianças com transtornos de aprendizagem têm uma inteligência normal ou acima do normal, mas tem dificuldade em expressar o que sabem. Como elas têm problema para aprender determinadas matérias, com frequência se sentem frustradas ou irritadas.

Essas emoções impactam negativamente em sua autoestima. Inclusive, podem chegar a ter depressão, já que sabem bem o que querem alcançar, dizer, escrever ou fazer, mas é difícil conseguir.

Em alguns casos, as crianças com transtorno de aprendizagem apresentam deficiências como dislexia ou discalculia, ou ambas. Este caso, sem dúvida, facilita um diagnóstico preciso. Também podem apresentar problemas de falta de atenção, o que não significa que tenham déficit de atenção.

Como posso ajudar o meu filho?

  • Entenda e aceite que os transtornos de aprendizagem são para a vida toda.
  • Os professores podem ajudar a detectar sintomas e criar um ambiente que facilite a aprendizagem, mas não podem concluir um diagnóstico.
  • Um bom diagnóstico e uma adaptação favorável têm um impacto muito positivo na vida acadêmica do seu filho.
  • Quem aplica os testes para detectar os transtornos de aprendizagem são especialistas: psicólogo, neuropsicólogo infantil, um pediatra especializado ou um psiquiatra.
  • As crianças com transtornos de aprendizagem aprendem. Foque em suas habilidades e preferências. Isso aumentará a autoestima do seu filho.
  • Castigo e repressão não funcionam com essas crianças, ao contrário, podem até agravar o problema.
  • Quando seu filho fizer birra ou chorar por suas limitações, apoie. Diga para ele o quanto você o ama e reconhece seu esforço, e que sabe que não é fácil.

Para as mães e pais

Criar um filho com problemas de aprendizagem é estressante. Se precisar de apoio ou terapia, procure. Seu filho também se beneficiará se os pais estiverem bem. Por favor, nunca compare seu filho com problemas de aprendizagem com outra criança que não tenha esse problema, muito menos com um irmão. Seu filho vai agradecer.


Publicidades