Modificar a alimentação continua sendo a chave para o sucesso da perda de peso

Reduzir gordura ou reduzir carboidratos. Essas são as dietas mais famosas que “garantem” resultados significativos. No entanto, um estudo publicado recentemente no JAMA Journal provou que a perda de peso é possível independente da dieta escolhida; pelos menos é o que dizem os pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, responsáveis pela pesquisa. De acordo com eles, ao contrário da crença geral, a genética exerce pouquíssima influência na escolha da dieta. Evitar alimentos processados, comer comida caseira e consumir mais alimentos integrais também não significam, necessariamente, maior perda de peso.

A pesquisa

Para chegar a essa conclusão, durante um ano, os pesquisadores observaram a dieta de 600 voluntários, com idades entre 18 e 50 anos. Para participar da pesquisa, eles passaram por teses genéticos e uma bateria de exames para determinar os níveis de tolerância à glicose e sensibilidade à insulina, já que alguns cientistas acreditam que esses fatores podem interferir na dieta. Outra exigências foram não fazer uso de medicamentos para diabetes ou hipertensão e variação de peso entre os participantes, embora a maior parte tenha sido composta por pessoas obesas.

Após essa primeira fase de seleção, os participantes foram designados de forma aleatória para dietas com baixo teor de gordura ou baixo teor de carboidratos. Nas primeiras oito semanas, eles foram aconselhados a reduzir a ingestão de gordura ou carboidrato (dependendo da dieta designada) para, em seguida, ir adicionando maiores quantidades até chegarem ao nível adequado para manter uma dieta de longo prazo. Outras recomendações foram a redução de açúcar, de farinha refinada e gordura trans, além de comer comida caseira e consumir mais vegetais e alimentos integrais.