Sem categoria

Sou obrigado a responder mensagens fora do horário de trabalho?

O horário de trabalho não se ampliou com as novas tecnologias, mas para alguns gestores o contato com os funcionários vai além do que é determinado por lei. Aplicativos como o WhatsApp, por exemplo, viraram o espaço perfeito para os grupos de trabalho. 

E se por um lado, a interação entre gestores e sua equipe ficou bem mais fácil, as mensagens fora do horário de trabalho também acabam acontecendo. Nos exemplos de endomarketing, se comprometer em respeitar o espaço e os horários de cada colaborador é fundamental para que o trabalho possa fluir. 

Mas será que o funcionário é obrigado a responder o seu superior em um período fora do horário de trabalho? Aqui, vamos explicar um pouco de quando esta comunicação é aceitável e quando não é. Muitos trabalhadores possuem dúvidas sobre este assunto, então buscamos responder às principais para te ajudar a entender como lidar com esta situação.

A empresa também não pode obrigar o funcionário a usar o seu aparelho pessoal para assuntos de trabalho. Muitas empresas de grande e médio porte costumam, inclusive, oferecer os aparelhos e planos de celular e internet como benefício para os colaboradores.

Sou obrigado a entrar no grupo de mensagens da empresa?

Não. A empresa não pode obrigar nenhum funcionário a entrar no grupo da empresa e nem a criar uma conta no aplicativo de mensagens. O máximo que a gestão pode fazer é propor que a pessoa utilize o aplicativo e entre no grupo da empresa. 

O ideal é que o gestor delimite horários para que os colaboradores fiquem atentos a assuntos de trabalho. É importante frisar também que a empresa deve sempre entrar em contato com os funcionários para entender suas possibilidades, antes de repassar tarefas fora do horário de trabalho. 

Responder mensagens fora do horário de trabalho configura hora extra? 

É importante salientar que estar no grupo da empresa não significa que você esteja 24h à disposição da empresa. Logo, é fundamental que o gestor entre em acordo com os membros de sua equipe para alinhar as expectativas e determinar qual é a participação de cada colaborador fora do horário de trabalho. 

Para que uma mensagem no grupo do trabalho seja configurada como hora extra será necessário que o gestor exija uma resposta rápida do funcionário. A maioria dos advogados concorda que esta questão depende do tipo de cobrança feito pelo superior. 

Então, se o seu chefe lhe cobrar uma tarefa quando envia a mensagem, isso é considerado como hora extra. Isso faz com que o colaborador tenha de trabalhar fora do horário de trabalho. 

Como identificar o abuso por parte da gestão da empresa? 

O primeiro ponto é entender o acordo que o colaborador fez com a empresa. Se você tem um acordo prévio que prevê horas extras com a necessidade de responder mensagens, e-mails e ligações, você deve seguir as regras e receber de acordo o tempo trabalhado em horário fora do expediente. 

Porém, se as solicitações geram uma demanda maior do que a combinada ou se não houver pagamento das horas extras, você deve reclamar sobre o abuso da empresa. Com isso, você legalmente tem direito a não responder as mensagens. 

O gestor pode demitir um funcionário pelo grupo? 

Muitos profissionais acabam atendendo as solicitações de seus superiores por conta do medo de ser demitido, muitas vezes, pela própria pressão do empregador. Em relação a demissão de um funcionário pelo grupo, o gestor precisa usar o bom senso. 

Antes da pandemia de COVID-19, a demissão de funcionários era feita sempre presencialmente. E para isso, o ideal seria o fato de o chefe chamar o empregado em privado na sua sala para comunicar a demissão. Se o chefe comunica a demissão de um funcionário na frente de outros colaboradores, ele está constrangendo o funcionário. 

Adaptando essa situação aos tempos atuais em que muitas pessoas estão trabalhando no home office, podemos dizer que o melhor meio para demitir um funcionário é chamar no privado e comunicar a decisão. Anunciar a demissão de uma pessoa no grupo da empresa gera constrangimento e pode gerar danos morais para o empregado demitido. 

Preciso me policiar na comunicação dentro do grupo da empresa? 

Sim. O grupo da empresa trata de assuntos profissionais, então deve ser tratado como tal. A dica é se policiar e ter a comunicação mais objetiva e formal possível. Essa é a melhor maneira para se comunicar neste ambiente. 

É importante frisar que o grupo de trabalho nas redes sociais e aplicativos de mensagens da empresa é uma espécie de extensão do ambiente de trabalho. Por isso, siga a mesma linha de comunicação adotada presencialmente. 

Como podemos ver, a comunicação fora do horário de trabalho deve ser feita com bom senso. Empregador e funcionário devem buscar um acordo para que o trabalho seja feito em comum acordo e que não haja abuso ou constrangimento de nenhum dos lados. 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo