Diversos

Queda de cabelo: saiba como tratar 

A queda de cabelo também está associada a uma doença chamada alopécia, que provoca não apenas a queda de cabelos, mas dos pelos do corpo. Antigamente, a calvície era considerada apenas do sexo masculino, mas isso pode acontecer com as mulheres. 

Esteticamente, os homens calvos são vistos como charmosos e atraentes. Se os cabelos não crescerem mais ou ficarem apenas nas laterais, muitos podem obter pela raspagem total. 

As mulheres, por sua vez, entretanto, acabam escolhendo a colocação de fios de sustentação na testa

A queda pode acontecer naturalmente, e cerca de 60 a 100 fios por dia podem cair, principalmente se for no outono ou inverno, em que as temperaturas são mais baixas. Isso porque a raiz do cabelo é menos irrigada com nutrientes e sangue. 

Porém, quando as temperaturas aumentam (no verão e na primavera), a queda tende a diminuir, por isso não é um fator alarmante e, apesar disso, ela deve ser observada no dia a dia para que não leve a uma depressão, que pode acontecer em pessoas mais temerosas. 

Alguns exames laboratoriais de sangue devem ser feitos para que se identifique a queda de cabelos: 

  • Dermatoscopia do couro cabeludo; 
  • Tricoscopia do fio; 
  • Fototricograma Digital; 
  • Tricometria; 
  • Biópsia de couro cabeludo. 

Primeiro, é necessário marcar uma consulta em um dermatologista especializado no assunto para que possa ele possa analisar o resultado e detectar a presença de escamas, inflamações, pústulas ou placas que indicam a ocorrência de uma alopecia.  

Diferentemente de um exame admissional de sangue, eles vão detectar se existe um desequilíbrio hormonal, que causa uma queda mais acentuada e frequente, e, tendo sido comprovado, pode indicar o Acetato de Ciproterona na posologia correta para o paciente. 

Depois de sessões de quimioterapia destinadas para tratamento de câncer, é totalmente normal os cabelos caírem, pois é um tratamento muito invasivo, mas não deve levar a um excesso de preocupação, porque a maioria dos médicos avisam essa ocorrência.  

Portanto, não se deve deixar de aproveitar a vida e contratar aquele day spa aniversário depois que a saúde estiver mais equilibrada e ter a certeza de que, em breve, os cabelos voltarão a nascer ainda que seja bem devagar.  

A queda de cabelo é comum entre as pessoas e, como abordado anteriormente, pode afetar tanto o sexo masculino como o feminino. Essa queda, ainda que incômoda, não deve afetar as atividades do dia a dia, porque são passíveis de tratamento. 

Motivos da queda de cabelo 

O cabelo cai não apenas por motivos de hereditariedade, desequilíbrio hormonal ou fatores genéticos, mas também por vários motivos, como: 

  • Aplicação contínua de chapinhas alisadoras; 
  • Uso de penteados que quebram o cabelo, fazendo-os cair; 
  • Excesso de estresse e nervosismo; 
  • Presença intensa de vitamina A ou B no organismo; 
  • Gravidez e pós parto; 
  • Uso de antidepressivos; 
  • Anemias leves ou profundas; 
  • Presença de doenças autoimunes; 
  • A contaminação pelo Covid-19; 
  • Mau funcionamento da glândula tireoides.  

Algumas mulheres insistem em deixar os cabelos tão lindos, todos os dias, que usam a chapinha com frequência, provocando a queda. 

Teimam, também, em usar penteados presos, como o rabo-de-cavalo, que quebram os fios, fazendo-os cair o tempo todo durante o banho.  

Agora, tanto nos homens quanto nas mulheres, com a correria do dia a dia, o estresse e o nervosismo aumentam, provocando a queda. O melhor é tentar relaxar e procurar atividades calmas que reduzem o estresse, como aulas de ioga, por exemplo.  

A geração atual tem como lema a melhor saúde e qualidade de vida, que está totalmente correto, mas abusar das vitaminas A ou B sobrecarrega o organismo, e esse excesso também pode provocar a queda de cabelo.  

Não se deve exagerar. Deve-se manter, por exemplo, um bloco de notas impermeável pregados na geladeira ou na mesinha de cabeceira e ter em mente que não se deve tomar muitos comprimidos dessas vitaminas.

Os suplementos alimentares são muito bons para qualquer tipo de reposição vitamínica, mas eles devem ser utilizados sob orientação médica, apesar que muitas pessoas os compram de forma aleatória, sem qualquer tipo de informação a respeito.  

Cair cabelo durante a gravidez e após o parto, nos primeiros três meses, é normal e, durante a gestação pode estar relacionado com o aumento de progesterona, que causa o ressecamento do cabelo, enfraquecendo-o e quebrando-o.  

É um processo natural que passa com o tempo. Então, ficar estressada com a enfermeira de jaleco feminino colorido personalizado é perda de tempo e de nada vai adiantar. Ela apenas quer ajudar no momento das contrações.   

Outro fator que incide na queda de cabelo é a troca de pílula anticoncepcional. Se o novo método de anticoncepção estiver provocando a queda excessiva, é recomendável falar com o ginecologista, para que ele veja uma nova opção de anticoncepcional.  

Durante a adolescência, as quedas capilares também ocorrem, porque é um período de intensa transição física, psicológica e emocional, e muitas mães acabam se preocupando excessivamente, mas a fase passa, e tudo entra na normalidade.  

O uso de antidepressivos para quem trabalha em uma empresa de tele entrega, anticoagulantes ou remédios para hipertensão podem ter como efeito colateral a queda de cabelo, se já forem utilizados há muito tempo.  

Remédios como o metotrexato, lítio e o ibuprofeno causam reações adversas como a queda de cabelo e se ela for notada, informe para o médico e solicite, dentro do possível, a troca do medicamento.  

A anemia leve ou profunda, causada pela ausência de ferro no sangue, também pode provocar a queda de cabelo. Os fios ficam fracos e quebradiços por receberem menos sangue, nutrientes e oxigênio.  

Na maioria dos casos de anemia, é necessário usar suplementos de ferro sem exagero ou, então, aumentar a concentração de vitamina B12 no organismo. Pode-se também ingerir carne vermelha com mais frequência ou, ainda, feijão, que contém bom índice de ferro.  

O hipotireoidismo, a presença de doenças imunes (como a Síndrome de Crohn, Cirrose Biliar Primária ou Diabetes tipo 1) e até a contaminação pelo vírus do Covid 19 ocasionam a queda dos cabelos alterando o metabolismo do indivíduo. 

Especialmente no caso da Covid 19, a queda acontece em algumas semanas ou em até três meses após a contaminação, mas não em todas as pessoas (depende muito do fator imunológico de cada um). 

No entanto, muitas pessoas entraram em depressão e foram direcionadas para o atendimento em clínicas de orientação psicossocial, que não engloba somente questões sociais, mas atendem os processos depressivos também.     

Ocorreram muitos casos de queda capilar acentuada durante a fase mais profunda da pandemia, mas em boa parte deles os cabelos voltaram a crescer depois de um tempo e os dermatologistas foram muito procurados.  

Como tratar a queda de cabelo? 

Para tratar a queda pode-se utilizar produtos específicos para o problema, remédios prescritos pelos dermatologistas, suplementos vitamínicos, mas também usar as seguintes alternativas: 

  • Loção capilar com Minoxidil (5%) para revitalizar o couro cabeludo; 
  • Shampoos e loções específicas para diminuir a queda; 
  • Suplementos nutricionais como o silício orgânico; 
  • Corticoides que evitam as inflamações capitulares; 
  • Laser de baixa potência (1 vez por semana); 
  • Carboxiterapia para aumento da irrigação sanguínea; 
  • Implante de cabelos direto no couro cabeludo (pode causar lesões); 

Os implantes são relativamente caros é uma opção para a calvície ou para quem ficou careca. Trata-se de uma cirurgia na qual é retirada uma faixa de cabelo da parte de trás para ser implantada na frente, próximo à testa ou onde estiver faltando cabelo.  

Dicas para evitar a queda de cabelo 

Muitos diagnósticos de queda de cabelo são totalmente reversíveis quando o paciente se propõe a ser responsável com o tratamento escolhido pelo dermatologista. Abaixo são apontadas algumas dicas essenciais nesse sentido: 

  • Lavar os cabelos ao menos 2 vezes por semana; 
  • Ter uma alimentação saudável e balanceada; 
  • Enxaguar bem os cabelos e desembaraçá-los no banho; 
  • Prender os cabelos apenas quando estiverem secos; 
  • Praticar exercícios físicos e controlar o estresse e ansiedade; 
  • Não deixar os cabelos sujos por muito tempo; 
  • Retirar bem o shampoo e condicionador; 
  • Usar escova de cabelo adequada; 
  • Não passar chapinha no cabelo molhado. 

Uma dica a mais, de valor imenso para que não ocorra a queda capilar, é evitar o uso de álcool e fumo.  

As substâncias componentes desses produtos são imensamente prejudiciais para a saúde e, com o tempo, podem causar a queda de cabelo. Esses vícios devem ser cortados apesar de serem muito difíceis de controlar.  

Considerações finais 

Muitos são os motivos que levam à perda de cabelo, como os apontados anteriormente. Mas o bom é que existem tratamentos, remédios e medicamentos que podem desacelerar a queda, e eles devem ser prescritos e acompanhados por um bom dermatologista. 

Portanto, se as dicas abordadas acima forem seguidas com responsabilidade, certamente será evitada a queda e haverá mais autoestima tanto para os homens como para as mulheres.

E assim, por exemplo, o dia a dia de trabalho com proveta laboratório certamente poderá ser mais exitoso.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Top News Tech, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo