Sociedade

Cuidados nutricionais para cães e gatos

Os cuidados nutricionais com animais de estimação são muito importantes para garantir a saúde e o bem-estar ao longo da vida do animal.

Ter uma alimentação balanceada e adequada às necessidades da espécie e porte são alguns dos pontos mais importantes para um bom desenvolvimento, prevenir doenças e fortalecer o sistema imunológico.

É necessário escolher alimentos de qualidade que atendam aos requisitos nutricionais dos animais, uma vez que podem impactar a energia e a vitalidade do pet.

As rações formuladas por profissionais são a melhor escolha porque garante todas as proteínas, vitaminas e minerais essenciais para o bom funcionamento do organismo.

Além disso, a alimentação correta é necessária para manter o peso saudável, bem como prevenir condições como obesidade e problemas articulares.

O tutor deve fornecer uma dieta balanceada para que o animal mantenha os pelos saudáveis, dentes fortes e unhas resistentes.

É importante saber que os cuidados nutricionais dependem da idade, raça e condições de saúde do pet. Por exemplo, os filhotes têm demandas específicas, assim como os animais adultos e idosos, por isso, é necessário se adaptar de acordo com a fase da vida.

Para entender melhor o assunto, este artigo vai mostrar quais são os fatores de risco relacionados à nutrição, quais são as diferenças e semelhanças na alimentação de cães e gatos e como perceber quando estão mal nutridos.

Fatores de risco com a falta de cuidados nutricionais

Os fatores de risco na nutrição de cães e gatos geram impactos na saúde e no bem-estar do animal. Entre os principais estão:

  • Escolha inadequada dos alimentos;
  • Obesidade;
  • Exagerar nos petiscos;
  • Escassez de água;
  • Não ajustar a dieta.

Um veterinário especializado em cirurgia de retirada de olho de cachorro sabe da importância de escolher adequadamente os alimentos oferecidos para o pet. Ele precisa ter boa qualidade nutricional e o animal depende de uma dieta equilibrada.

Alimentos de baixa qualidade aumentam as deficiências nutricionais e afetam a saúde de maneira negativa no longo prazo.

A obesidade é outro fator de risco, e costuma estar associada a dietas ricas em calorias e a ausência de exercícios. Cães e gatos obesos podem desenvolver problemas de saúde, como diabetes, doenças articulares e baixa expectativa de vida.

O tutor precisa controlar a quantidade de petiscos e outras guloseimas que oferece para o animal, caso contrário, esses alimentos podem provocar excesso de peso e problemas dentários.

Não se deve adotar dietas caseiras sem a orientação de um veterinário, pois isso também pode provocar desequilíbrios nutricionais que prejudicam a saúde do pet.

Os animais também precisam de água fresca e acessível o dia todo, pois precisam se manter hidratados para garantir o funcionamento normal de suas necessidades fisiológicas, dos rins, da pele e dos pelos.

Um veterinário para animais exóticos também recomenda o monitoramento regular da saúde do animal, assim como fazer os ajustes necessários em sua dieta ao longo da vida.

Uma boa nutrição é aquela que está de acordo com as necessidades do bichinho, sua idade e suas condições físicas.

Tomar todos esses cuidados é muito importante para evitar os riscos na nutrição de cães e gatos, e possibilitar que vivam uma vida mais longa e saudável.

Sinais de falta de cuidados nutricionais

Perceber a existência de má-nutrição em cães e gatos é muito importante para a saúde e o bem-estar dos pets.

Os sinais desse problema podem se manifestar de várias maneiras, e por menor que seja, é necessário ter atenção para identificar o que está acontecendo e resolver o problema.

Um dos indicativos mais importantes são as alterações no peso, tanto a perda quanto ganho excessivo sinalizam que existe algum desequilíbrio na dieta do animal.

Pelos opacos, pele seca e descamando, entre outras anormalidades nessa parte do corpo também são alguns sintomas de deficiência de vitamina e minerais importantes.

Em um pet shop perto de mim banho e tosa, é possível encontrar ração de qualidade que garante todos os nutrientes que o animal precisa.

Uma alimentação pobre pode provocar problemas gastrointestinais, como flatulências, vômitos e diarreia constante. Fezes anormais, muito secas ou muito moles, também podem indicar algum tipo de problema.

Os tutores devem estar atentos à falta de energia e entusiasmo e redução de atividade física porque isso indica que o bichinho não está recebendo os nutrientes necessários para sua vitalidade.

Muitos também costumam apresentar problemas dentários, como tártaro e mau hálito, que podem indicar algum problema de má-nutrição.

Mudanças no comportamento alimentar, como se recusar a comer, demonstrar aversão à comida ou estar muito ansioso durante as refeições, também são alguns indícios de que existem problemas na qualidade do alimento oferecido.

O papel do tutor é observar o estado de saúde de seu animal, assim como seu comportamento e aparência, e procurar ajuda, caso alguma coisa esteja fora do normal.

Alguns cuidados, como vacina para gato v5 e vacinas para os cães, são muito importantes para a saúde do pet, mas isso não significa que a alimentação possa ser negligenciada.

Se mesmo oferecendo alimentos de qualidade o tutor perceber alguma diferença, é muito importante levar ao veterinário para fazer uma avaliação nutricional e ajustar a dieta.

A orientação profissional é essencial para adotar uma abordagem apropriada e personalizada para a nutrição do cão ou gato.

Diferenças e semelhanças na alimentação

As diferenças na alimentação de cães e gatos dependem das necessidades nutricionais que cada espécie apresenta.

Os cães são animais onívoros, por isso, precisam de uma dieta com proteínas, gorduras, carboidratos e vegetais. Os gatos, por sua vez, são carnívoros estritos, e dependem de fontes animais para atender suas exigências nutricionais.

Quem tem gato em casa precisa oferecer proteína de alta qualidade, mas ambas as espécies dependem de uma dieta equilibrada, com todos os nutrientes para sua saúde.

Em uma consulta de ortopedia para gatos, o veterinário pode elaborar uma dieta específica para o animal, assim, ele vai consumir vitaminas, minerais e ácidos graxos importantes para sua saúde.

Alimentos que podem ser introduzidos

Alguns alimentos podem ser introduzidos na dieta do animal, mas esse processo deve ser cuidadoso e de acordo com as necessidades nutricionais do pet.

Para os cães, o ideal são as carnes magras, como frango cozido sem pele e sem osso, pois é uma excelente fonte de proteína. Também é uma opção fácil de digerir e que fornece os aminoácidos essenciais.

Também é interessante introduzir vegetais cozidos, como cenouras e abóboras, pois fornecem fibras, vitaminas e minerais.

Para os gatos, o tutor deve oferecer proteína animal, por conta de sua natureza carnívora. Os profissionais que atuam em uma clínica de Raio X para cachorros recomendam peito de frango cozido e peixes ricos em ácidos graxos e ômega-3.

O salmão, por exemplo, pode ser incluído ocasionalmente na dieta, e ajuda a ter uma pele e uma pelagem saudáveis. Mas deve-se evitar o uso excessivo de peixes porque pode provocar deficiência nutricional.

Alimentos proibidos

Animais de estimação, como cães e gatos, possuem restrições alimentares, visto que alguns alimentos podem ser tóxicos e até perigosos para essas espécies.

No caso dos cães, não se deve alimentá-los com chocolate, cebola, alho, uva, abacate e outros alimentos ricos em cafeína, como café, chá e refrigerante. Todos esses alimentos são prejudiciais e podem provocar problemas graves.

O animal pode ter algum distúrbio gastrointestinal e desenvolver até mesmo insuficiência renal que pode levar à morte.

Se o tutor tiver alguma dúvida, deve levar seus animais de estimação para uma consulta para cachorro e obter mais esclarecimentos com um profissional.

Já no caso dos gatos, alimentos como cebola e alho, peixes crus, leite em grande quantidade, alimentos ricos em gordura, ossos pequenos e carnes processadas com muito sal, são opções que devem ser descartadas.

Além disso, certos tipos de vegetais, como cebola e alho, podem ser extremamente tóxicos para os felinos.

Mas mesmo que o tutor queira introduzir alimentos permitidos e de boa qualidade para seus animais, precisa fazer isso aos poucos.

O ideal é consultar um centro veterinário para cães pequenos e perguntar o que pode ou não ser introduzido na dieta do animal.

Qualquer opção que não seja especificamente formulada para o pet deve ser introduzida em sua dieta com cautela e supervisão veterinária.

Se o tutor perceber algum sinal de intoxicação, como vômito, diarreia, letargia ou tremores, precisa levar o animal imediatamente para o veterinário, assim, vai evitar situações mais graves.

Considerações finais

Uma alimentação adequada é essencial para garantir a saúde e o bem-estar de cães e gatos. O ideal é escolher alimentos balanceados e prevenir o acesso às opções proibidas para evitar problemas de saúde.

Além de cuidar com carinho da alimentação, também é muito importante levar o animal às consultas regulares ao veterinário.

Esse profissional vai estabelecer uma dieta que atenda todas as necessidades nutricionais do pet.

Desse modo, fica mais fácil preservar a saúde do bichinho de estimação e proporcionar-lhe uma vida mais longa e com maior qualidade, seja ele um cão ou um gato.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo